Portugal marca no último lance, empata com Estados Unidos e segue vivo

  • Por Jovem Pan
  • 22/06/2014 20h59
As duas equipes foram para o vestiário com Portugal vencendo por 1 a 0Confira em imagens todas as emoções de EUA x Portugal

Em busca de tentar evitar eliminação precoce nesta Copa do Mundo, Portugal entrou em campo para enfrentar os Estados Unidos, neste domingo, na Arena da Amazônia. E, após partida emocionante, o time luso segue vivo. Com gol de Varela, aos 49 minutos, os europeus garantiram empate por 2 a 2 e ainda estão na briga por uma das vagas do Grupo H.

Modificada por causa de suspensão (Pepe) e lesões (Rui Patrício, Fábio Coentrão e Hugo Almeida), a seleção comandada por Paulo Bento abriu o placar aos cinco minutos, com gol do meio-campista Nani. Na etapa complementar, Jermaine Jones, aos 19 minutos, e Clint Dempsey, aos 35 minutos, viraram para o time comandado por Jurgen Klinsmann. No entanto, aos 49 minutos, Varela completou cruzamento de Cristiano Ronaldo e empatou.

Com este resultado, os Estados Unidos desperdiça oportunidade de conseguir classificação antecipada e segue na segunda colocação, com quatro pontos. Portugal, por sua vez, está em último na chave, com um ponto, mas ainda tem chances de avançar. Alemanha (quatro pontos) e Gana ocupam a primeira e a terceira posição, respectivamente.

A seleção portuguesa volta a entrar em campo na próxima quinta-feira, às 13 horas (de Brasília), quando faz duelo decisivo com Gana, no Estádio Mané Garrincha, no Distrito Federal. No mesmo dia e horário, os Estados Unidos enfrentam a Alemanha, na Arena Pernambuco, em jogo que um empate classifica as duas seleções.

O jogo: Goleado por 4 a 0 pela Alemanha em sua estreia nesta Copa, Portugal entrou em campo com diversas mudanças diante dos Estados Unidos. Além do zagueiro Pepe, expulso contra a seleção tricampeã mundial, o treinador Paulo Bento não pôde contar com o goleiro Rui Patrício, com o lateral esquerdo Fábio Coentrão e com o centroavante Hugo Almeida. Com isto, optou por escalar Ricardo Costa, Beto, André Almeida e Hélder Postiga como substitutos.

A nova formação da equipe lusitana deu resultado no início da partida. Em busca de sair em vantagem, o time europeu adotou postura de marcação já no campo ofensivo e dificultou a saída de bola dos norte-americanos. E, logo aos cinco minutos, cumpriu seu objetivo e conseguiu abrir o placar na Arena da Amazônia. Após cruzamento de André Almeida, a zaga adversária falhou e Nani, sozinho, chutou forte na saída de Tim Howard.

Após balançar as redes, Portugal recuou e cedeu mais espaços para os Estados Unidos armar seus lances no campo ofensivo. A equipe comandada pelo alemão Jurgen Klinsmann, porém, encontrava dificuldade para ser mais efetiva em seu ataque, criando suas melhores chances em arremates de fora da área. Em um deles, aos 28 minutos, Bradley assustou o goleiro Beto.

Recuado e apostando em contra-ataques, o time europeu explorava mal seu principal jogador, Cristiano Ronaldo, que pouco produziu durante o primeiro tempo. Entretanto, antes de voltar aos vestiários, os lusitanos quase ampliaram a vantagem. Aos 44 minutos, Howard falhou em chute de Nani e a bola acertou a trave. No rebote, o goleiro conseguiu recuperação e fez grande defesa em chute de Éder, que entrou ao longo do jogo no lugar de Hélder Postiga.

Na volta para etapa complementar, a equipe norte-americana tomou conta das ações ofensivas do jogo e, aos dez minutos, quase empatou em lance incrível. Johnson avançou pela direita e cruzou para área. Beto sai mal e Bradley, com o gol livre, chutou forte. O zagueiro Ricardo Costa apareceu para fazer o corte em cima da linha e salvou o time lusitano.

Acuado, Portugal conseguiu ameaçar sete minutos mais tarde, quando Cristiano Ronaldo disparou pela direita e chutou para fora do gol de Bradley. No entanto, aos 19 minutos, depois de pressionar, os Estados Unidos chegaram ao empate. Jermaine Jones dominou fora da área, puxou para perna esquerda e acertou o canto esquerdo de Beto, que não teve reação e apenas observou a bola entrar.

Para tentar minimizar as investidas ofensivas dos Estados Unidos, o técnico Paulo Bento tirou o volante Raul Meireles e colocou Silvestre Varela. O atleta foi deslocado para atuar pelo lado esquerdo, onde tinha missão de conter as constantes subidas ao ataque do lateral Johnson. Como resposta, Klinsmann tirou o meio-campista Bedoya e colocou o lateral Yeolin.

Depois da alteração, Portugal aumentou sua presença no campo ofensivo e ensaiou pressão sobre os Estados Unidos. No entanto, nem mesmo a entrada de Varela conseguiu conter o lado direito do ataque norte-americano. Após descida de Yeolin, a bola sobrou para Zusy, que chutou cruzado. Dempsey, na pequena área, desviou de peito e garantiu a virada.

Com o resultado que o eliminava do torneio, o time lusitano se lançou definitivamente ao ataque e não poupou esforços no campo ofensivo. E, no último lance da partida, aos 49 minutos, Cristiano Ronaldo desceu pela direita e cruzou para Varela. O atacante deu um peixinho e, de cabeça, não só assegurou o empate, como manteve Portugal vivo na Copa do Mundo de 2014.