Prass critica situação do gramado nas novas arenas: “para o goleiro é pior”

  • Por Jovem Pan
  • 14/11/2014 12h53

O goleiro Fernando Prass rasgou elogios ao novo estádio do Palmeiras depois de treinar no local

O goleiro Fernando Prass em treino do Palmeiras

Fernando Prass é um dos mais experientes atletas em atividade no Brasil. Revelado pelo Grêmio, o goleiro tem acompanhado a evolução dos estádios e dos gramados brasileiros ao longos dos anos. Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o palmeirense disse estar otimista com o gramado da Allianz Parque e disse ter se decepcionado com as condições do solo no Maracanã e Mineirão, arenas de grandes préstigio nacional.

Os gramados brasileiros vem sofrendo mudanças devido junto com suas estruturas. Prass revelou que o Palmeiras se precaveu em relação às condições do piso de sua nova casa. “Dizem que são [as mudanças] muito pela questão da incidência solar, já que hoje as Arenas são muito fechadas então não há uma grande quantidade de luz durante o dia. Na Arena do Palmeiras, para resolver esse problema, teremos uma máquina de iluminação artifical para solucionar a questão”, disse.

Questionado sobre as novas Arenas, Prass se queixou de dois estádios muito tradicionais no país. “O Maracanã, quando eu joguei há pouco, não estava em uma condição muito boa, prinicpalmente pela grandeza do estádio. Antes da reforma no estádio, encontrei o gramado em muito melhor estado. O Mineirão sempre foi um campo absurdamente bom, mas quando jogamos no Brasileirão [diante do Cruzeiro] foi um dos gramados que encontrei em pior condição. Havia muita areia”, lamentou o arqueiro.

Na opinião do goleiro, seus companheiros de posição são os que mais sofrem com a má condição do gramado. “O goleiro sofre mais. O atacante pode errar, depois terá outra chance de corrigir”. O arqueiro destacou a melhor na mentalidade de gerencimanento dos novos estádios brasileiros. “Acho que isso está mudando aos poucos até por se ter uma consciência de vender um produto melhor. Hoje a infraestrutura para o torcedor melhorou muito dentro e fora de campo. Há que se melhorar cada vez mais porque há outras mil opções de torneios para você assistir em casa. Então é preciso tratar bem o produto do futebol brasileiro”, finalizou.