Presidente do Barça convoca coletiva para explicar saída de diretor

  • Por EFE
  • 06/01/2015 16h27
Barcelona rescindiu o contrato com o ex-goleiro e diretor de futebol Zubizarreta. Horas depois

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, convocou uma entrevista coletiva nesta quarta-feira, às 15h locais (13h de Brasília), para explicar os motivos da demissão do diretor de futebol Andoni Zubizarreta e anunciar o substituto no cargo.

Bartomeu também deve falar sobre os motivos de o clube não poder contratar novos atletas até janeiro de 2016, após a Corte Arbitral do Esporte (CAS) ter ratificado a punição da Fifa por causa da transferência irregular de jogadores menores de idade.

Zubizarreta lembrou após a derrota do Barcelona para a Real Sociedad, no último domingo, que Bartomeu era o vice-presidente esportivo do clube quando as irregularidades foram cometidas. Irritado com a afirmação, o presidente demitiu o ex-goleiro do cargo de diretor de futebol.

O presidente do Barcelona não quis dar entrevistas depois de a CAS confirmar a manutenção da punição. Apenas abordou o assunto em um vídeo-comunicado, no qual considerava a sanção como injusta.

Além dos dois problemas, o presidente terá que explicar a saída de Carles Puyol da secretária técnica e o novo desentendimento de Lionel Messi com o técnico Luis Enrique. O astro argentino não compareceu ao treino realizado ontem, alegando gastoenterite.

Descartada, em princípio, a convocação de eleições no final da atual temporada, Bartomeu tentará defender sua gestão e o trabalho de Luis Enrique à frente da equipe.

O presidente fará um pedido de união entre torcedores, equipe e diretoria, alegando que o clube ainda está na briga por todos os títulos que estão sendo disputados nesta temporada.

No entanto, a realidade é outra. O time tem apresentado dificuldades em campo e a Fifa questionou o modelo do centro de treinamento de La Masía, destinado às categorias de base. Além disso, a imagem do clube está desgastada após vários episódios judiciais, incluindo o caso da contratação do atacante Neymar.

Toni Freixa, um dos diretores dissidentes substituídos por Bartomeu, pediu uma junta extraordinária para analisar os últimos eventos, e não descarta a possibilidade de pedir a convocação de eleições para presidente na próxima primavera.