Presidente do Barcelona se diz disposto a depor sobre compra de Neymar

  • Por Agencia EFE
  • 20/01/2014 19h26

Presidente do BarcelonaPresidente do Barcelona

O presidente do Barcelona, Sandro Rosell, pediu nesta segunda-feira ao juiz da Audiência Nacional, Pablo Ruz, que aceite a denúncia apresentada por um sócio por supostas irregularidades na contratação de Neymar e que lhe convoque a depor “o mais rápido possível”.

Essa declaração foi dada depois que uma nova informação hoje do jornal El Mundo sustenta que o clube catalão pagou 95 milhões de euros pelo atacante brasileiro, e não os 57 milhões anunciados.

Durante o anúncio da remodelação do Camp Nou, Rosell foi contundente: “Neymar custou 57 milhões de euros. Peço com todo o respeito ao senhor juiz que me convoque a depor, para explicá-lo tudo, já que não há nada a esconder”.

Em sua edição de hoje, o El Mundo assegura que teve acesso aos “contratos assinados entre o clube azulgrana e o jogador brasileiro, que agem já em poder do Juizado de Instrução número 5 da Audiência Nacional”, e cifrou a transferência do ex-jogador do Santos em 38 milhões de euros a mais que os declarados pelo clube espanhol.

Os documentos, assinados entre novembro de 2011 e setembro de 2013, incluiriam “três comissões milionárias destinadas à família Neymar e que até agora permaneciam ocultas”.

A publicação garante que o pai do jogador receberia 2 milhões de euros pela busca de novas promessas do Santos, 4 milhões pelo trabalho de captação de contratos de publicidade de empresas brasileiras e outros 2,5 milhões que se destinariam a “ajudar crianças de favelas de São Paulo”.

Segundo o “El Mundo”, nestes contratos não se incorpora nenhum tipo de obrigação para a família de Neymar, que receberia essas quantias independente do êxito das gestões.

“Trata-se de acordos fictícios para camuflar as receitas verdadeiras do jogador”, diz o texto.