Presidente do Bayern renuncia ao cargo e vai aceitar pena imposta pela Justiça

  • Por Jovem Pan
  • 14/03/2014 10h50

O presidente do BayernUli Hoeness

O presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, que foi condenado na última quinta-feira (13) a três anos e seis meses de prisão por conta de sonegação de impostos, divulgou um comunicado no site do clube bávaro, nesta sexta-feira (14), informando sua decisão de renunciar ao cargo e aceitar sua pena.

No texto, o dirigente frisa que “depois de discutir o ocorrido com sua família, ele decidiu aceitar a decisão da Corte Distrital de Munique”.

“Eu instruí meus representantes legais a não apelar do veredicto. Isso corresponde ao meu entendimento de integridade, decoro e responsabilidade pessoal. Sonegar impostos foi o pior erro da minha vida e aceito as consequências desse erro”, comunicou Hoeness.

Logo na sequência da nota oficial, Uli Hoeness fala sobre sua decisão de não continuar no cargo depois de sua condenação.

“Faço isso para evitar mais danos ao clube. O Bayern de Munique é o trabalho da minha vida e vai continuar a ser assim. Vou continuar a ser associado desse clube magnífico e suas pessoas de outras maneiras enquanto eu viver. Gostaria de agradecer de coração aos meus amigos pessoais e seguidores do Bayern de Munique pelo apoio”, finalizou o agora ex-presidente do clube.

Uli Hoeness teria sonegado uma quantia de aproximadamente 27,2 milhões de euros (cerca de 89 milhões de reais). Os impostos devidos pelo dirigente eram referentes a lucros por especulações de bolsas de valores através de uma conta na Suíça, no banco Vontobel, da qual o fisco alemão não tinha conhecimento no início.