Presidente do Dínamo diz que Uefa deu 45 minutos para decisão sobre estádio

  • Por Agencia EFE
  • 19/02/2014 16h02

Dínamo de Kiev é obrigado e jogar fora da Ucrãnia devido a onda de protestos no país.

Praça em Kiev após protestos

O presidente do Dínamo de Kiev, Ihor Surkis, denunciou desta quarta-feira que a Uefa só deu 45 minutos para o clube oferecer um novo estádio para a disputa do jogo de quinta contra o Valencia, pela ida da fase 16 avos de final da Liga Europa.

“A Uefa nos deu 45 minutos para que oferecêssemos um estádio fora da Ucrânia”, disse o dirigente, ao explicar a escolha do GSP Stadium, em Nicósia, no Chipre.

Surkis explicou que a escolha do local aconteceu após um telefonema a “amigos cipriotas” que fizeram o acerto. A rapidez com que a alteração foi feita fez com que o clube sequer saiba como será a viagem, que segundo o dirigente “pode” acontecer ainda hoje.

Além do clima conflituoso em Kiev, a mudança acontece porque o governo ucraniano declarou esta quinta-feira o “dia de luto nacional”, pelas vítimas das revoltas em Kiev, suspendendo todos os eventos esportivos no país.

Mais cedo, a delegação de Valencia viveu uma situação inusitada no aeroporto de Manises, em Valência, na Espanha, onde esperou quatro horas até saber o local da partida contra o Dínamo.

Os jogadores e a comissão técnica chegaram a despachar as malas para a capital ucraniana, mas depois receberam a informação de que a Uefa havia transferido o duelo para Nicósia.