Protagonista do Super Bowl, Peyton Manning lutará para quebrar jejum dos MVPs

  • Por EFE
  • 02/02/2014 13h48
Peyton Manning quer encerrar jejum de MVPs no superbowl

Peyton Manning, quarterback do Denver Broncos, teve o status de protagonista da 48ª edição do Super Bowl, que será disputado neste domingo, aumentado ainda mais com a conquista prêmio de MVP (jogador mais valioso da temporada), na véspera da partida contra o Seattle Seahawks.

Esta é a quinta vez que Manning termina a temporada como o jogador de maior destaque, a primeiro defendendo a equipe do Colorado. Anteriormente, o astro dos Broncos levou a melhor enquanto vestia a camisa do Indianapolis Colts, time em que atuou por 14 temporadas até 2012.

Na cerimônia, realizada em Nova York, o quarterback de 37 anos ainda recebeu o prêmio de Jogador Ofensivo do Ano. E os números confirmam a supremacia de Manning na temporada, já que ele entrou para a história ao ganhar 5.477 jardas com seus lançamentos, e ter dado passe para 55 touchdowns, dois recordes históricos da NFL.

Até hoje, Manning conquistou um Super Bowl, em duas edições disputadas, em 2007. Na vitória sobre o Chicago Bears por 29 a 17, o quarterback lançou para 247 jardas e deu passe para um touchdown. Três anos depois, o primeiro vice da NFL, com a derrota para o New Orleans Saints por 31 a 17.

O jogador do Denver Broncos foi o único envolvido no Super Bowl premiado ontem em Nova York. Os outros eleitos foram Ron Rivera, do Carolina Panthers, que é o Técnico do Ano; Luke Kuechly, também do Carolina Panthers, Jogador Defensivo do Ano; Eddie Lacy, do Green Bay Packers, Calouro Ofensivo do Ano; Sheldon Richardson, do New York Jets, Calouro Defensivo do Ano; e Philip Rivers, quarterback do San Diego Chargers, premiado pela Melhor Volta por Cima.

Resta saber agora se Peyton Manning conseguirá quebrar um jejum de 14 anos. Desde 1999/2000, quando o quarterback Kurt Warner foi eleito MVP e conquistou o título com o St. Louis Rams, nenhum jogador repetiu tal feito.

Na temporada em que perdeu o Super Bowl para os Saints, o então jogador dos Colts teve essa chance. Resta saber se o final da história será diferente agora que defende os Broncos, na final contra os Seahawks. EFE