Punição de Suárez foi “vingança” por eliminação de europeus, diz Evo Morales

  • Por Agencia EFE
  • 01/07/2014 15h36

Luiz Suárez chora muito após segundo gol uruguaio

Luiz Suárez chora muito após segundo gol uruguaio

O presidente da Bolívia, Evo Morales, expressou nesta terça-feira (1) sua solidariedade ao jogador uruguaio Luis Suárez por conta da punição imposta pela Fifa que, em sua opinião, foi uma vingança pela eliminação das equipes europeias que caíram perante seleções sul-americanas.

“Eu sinto que alguns dirigentes da Fifa estão se vingando de alguns jogadores para que os sul-americanos não continuem a eliminar os europeus, os grandes países que também já foram campeões mundiais”, disse Morales em um ato na região andina de Potosí.

O presidente boliviano, reconhecidamente torcedor de futebol, demonstrou toda sua “solidariedade” por Suárez e a seleção uruguaia. Ele também se disse esperançoso de que “as equipes sul-americanas continuem avançando rumo à final da Copa do Mundo”.

Suárez, punido pela Fifa após morder o zagueiro italiano Chiellini, ficará de fora de nove partidas oficiais e quatro meses afastados de qualquer atividade relacionada ao futebol, além de uma multa de 200 mil francos suíços.

Suárez emitiu ontem um comunicado em que pedia perdão ao zagueiro, que respondeu dizendo que tudo estava superado e que esperava que a Fifa reduzisse a suspensão.

O presidente boliviano insistiu que parece suspeita a punição a Suárez e insistiu que tem a ver com as equipes sul-americanas estarem “eliminando os europeus”.

“O primeiro eliminado foi a Espanha. Depois Inglaterra, em seguida Itália e como estavam sendo eliminados, punem um sul-americano, Luis Suárez”, comentou.

“Supostamente mordeu, não sei, poder ser parte do futebol, mas suspeitosamente foram três castigos: multa econômica, não pode jogar por sua seleção por nove partidas, e por quatro meses nem poderá jogar futebol”, opinou o líder boliviano.