Punido por racismo contra árbitro, Esportivo acaba rebaixado no Gaúchão

  • Por Jovem Pan
  • 11/04/2014 09h42
Dilma recebe Tinga e Márcio Chagas em BrasíliaDilma recebe Tinga e Márcio Chagas

O Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul puniu na noite desta quinta-feira (10) o Esportivo devido aos atos racistas de seus torcedores contra o árbitro Márcio Chagas da Silva. A sentença imposta ao clube gaúcho foi de perda de novo pontos e seis mandos de campo, além de multa de 30 mil reais. 

► Concorra ao livro “Libertadores – Paixão que nos une”

Com a punição, o Esportivo cai para a última colocação da tabela no Campeonato Gaúcho e está rebaixado para a segunda divisão do estadual. O clube ainda pode recorrrer da decisão no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva. Quem se beneficiou foi o Passo Fundo, que se livrou do descenso no Gaúchão.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, Chagas comemorou a decisão do Tribunal. “Serviu para dar um basta nesta covardia com o povo negro. Foi julgado de forma exemplar e pode dar resposta à socidedade. Torço para que seja um divisor de águas, se perdeu há muito tempo os valores e isso poder ser uma forma de resgatá-los”, disse.

No dia 5 de março, Chagas sofreu com o racismo dos torcedores durante e depois da partida entre Esportivo e Veranópolis. Após o término do jogo, o árbitro encontrou bananas no capô de seu carro, que também foi amassado. O caso foi relatado na súmula por ele.