Rafaela Silva justifica doping por dar ‘nariz para criança chupar’

  • Por Jovem Pan
  • 20/09/2019 20h45
Foto: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDORafaela Silva

A judoca campeã mundial, pan-americana e olímpica Rafaela Silva foi flagrada no exame antidoping. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (20). No mesmo dia, a atleta convocou uma coletiva de imprensa, na sede da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na Urca, na zona sul do Rio de Janeiro, para dar sua versão dos fatos.

“Eu não faço uso dessa substância, não tenho asma, não tenho nada. Quando fiquei sabendo dessa notícia, fiquei pensando todos os dias o que eu tinha feito, o que podia ter acontecido. A única pessoa que fez uso dessa substância foi a Lara, que treina no Instituto Reação. Eu tenho mania de dar meu nariz para a criança chupar. Conforme ela vai chupando meu nariz, eu vou inalando as substâncias que ela manda para o meu corpo”, argumentou Rafaela Silva.

Lara, a quem se refere Rafaela Silva, é a filha de 7 anos de Flávia Rodrigues, outra judoca do Instituto Reação. O contato entre a campeã olímpica e a menina aconteceu no dia 4 de agosto, cinco dias antes de ela testar positivo no Pan. Rafaela seguiu competindo depois que foi informada do resultado positivo e chegou a levar a medalha de bronze no mundial de agosto. A medalhista fez exames na competição e testou negativo.

“Competi depois, fiz exame e deu negativo. Continuei competindo, deu negativo. Acho que a história que a gente tem para contar é que, como falei, sempre tive muito cuidado por não querer passar por isso. Criança no colo, sempre dou o nariz para as crianças chuparem, e eu descobri que uma das crianças que eu fiz isso faz uso dessa substância. Então, pode ser um dos motivos”, explicou.