Rafinha admite desejo de adotar cidadania alemã e desconversa sobre seleção

  • Por Agência EFE
  • 21/07/2015 11h48

O lateral direito Rafinha (centro) EFE Rafinha

O lateral-direito Rafinha, do Bayern de Munique, admitiu nesta segunda-feira que deseja adotar a nacionalidade alemã, pelo tempo que vive no país, e que não descarta a possibilidade de defender a seleção do país.

“Já apresentei a solicitação e espero que, em breve, seja alemão”, disse o defensor brasileiro, que está na China para participar da pré-temporada da equipe bávara.

Questionado sobre a possibilidade de defender os atuais campeões de mundiais entre seleções, o jogador revelado pelo Coritiba preferiu desconversar, afirmando que a preocupação inicial é com a possibilidade de virar jogador “comunitário”.

“Ainda é muito cedo, me deixar pegar o passaporte, por enquanto, e então veremos”, disse o brasileiro, em declarações publicadas no site da emissora alemã “Sport1”.

Rafinha desembarcou na Alemanha em 2005, para defender o Schalke 04, clube em que atuou por cinco anos. Após curta passagem pelo Genoa, da Itália, o lateral-direito chegou em 2011 ao Bayern de Munique.

Pela seleção brasileira principal, o jogador do time bávaro fez duas partidas amistosas, contra Suécia, em 2008, e África do Sul, em 2014, o que, de acordo com últimas decisões da Fifa, não impediria participação por equipe nacional de outro país.

Alem disso, Rafinha foi medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de 2008, disputados em Pequim.