Real, Barça, Federação Espanhola e Del Bosque lamentam morte de Di Stéfano

  • Por EFE
  • 07/07/2014 14h24
Di Stéfano posa ao lado dos cinco troféus da Liga dos Campeões que conquistou com o Real Madrid de 1956 a 1960Di Stéfano posa ao lado dos cinco troféus da Liga dos Campeões que conquistou com o Real Madrid de 1956 a 1960

O falecimento do ex-jogador Alfredo di Stéfano provocou comoção no mundo do futebol, especialmente na Espanha, onde brilhou no Real Madrid, clube do qual era o maior ídolo e se tornou presidente de honra.

Di Stéfano morreu nesta segunda-feira, às 12h15 (de Brasília), no Hospital Geral Universitário Gregorio Marañón, na capital espanhola, informou o Real Madrid em um comunicado oficial. Na nota, Florentino Pérez, presidente do clube, e toda a direção expressaram “as mais profundas condolências e todo o carinho e afeto a seus filhos, familiares e amigos”.

“O Real Madrid estende estas condolências a seus torcedores em todo o mundo e aos que sentem com emoção a perda do melhor jogador de todos os tempos”, diz o comunicado.

A Federação Espanhola de Futebol (RFEF) também divulgou nota de pesar pelo falecimento do argentino naturalizado espanhol.

“Foi um verdadeiro fora de série tanto dentro como fora dos gramados por sua forma de entender a vida e por essa sabedoria que acumulava e que presenteava generosamente por onde ia. Descanse em paz”, diz o texto.

Vicente del Bosque, técnico da seleção espanhola e ex-treinador do Real, lamentou a morte do craque.

“Ele foi meu treinador em meus últimos anos como jogador (1982 a 1984), o conheci bem, portanto certamente lamento muitíssimo sua perda”.

O Barcelona deixou a rivalidade de lado e também manifestou pesar pelo falecimento de um de seus grandes algozes nos anos 50 e 60.

“O FC Barcelona expressa suas condolências pela morte de Alfredo di Stéfano, presidente de honra do Real Madrid. Descanse em paz”, afirmou o clube catalão em nota.