Real Madrid e Cruzeiro apostam em ex-atletas para o comando; relembre outros

  • Por Jovem Pan
  • 05/01/2016 10h52
Zidane e Deivid são exemplos recentes de ex-jogadores que assumiram times em que jogaram

Vivendo momento conturbado na temporada, o Real Madrid decidiu trocar de treinador. Para o lugar do substituído, Rafa Benítez, Florentino Perez recorreu a um velho conhecido. Ídolo da torcida, Zidane assume o comando da equipe em que jogou entre os anos de 2001 e 2006.

Ao aceitar o convite e assumir a direção do time espanhol, Zidane repete outros muitos –ex-jogadores que treinaram times em que jogaram ao longo de suas carreias. O exemplo mais recente é o do ex-atacante Deivid que se tornou treinador do Cruzeiro, clube onde jogou e foi campeão Brasileiro em 2003. Outro exemplo atual é o de Roger Machado que se tornou ídolo jogando no Grêmio, e foi contratado para treinar o tricolor gaúcho no início de 2015.

Relembre ex-jogadores que assumiram clubes em que já jogaram:

Pep Guardiola: criado no Barcelona, Guardiola se formou como jogador e treinador no clube catalão. Depois de defender a equipe azul grená na maior parte de sua carreira como jogador, Pep voltou ao clube para treinar a equipe B e, mais tarde, a equipe principal.

Renato Gaúcho: o Grêmio já teve a experiência de colocar um ídolo do clube para dirigir a equipe, com o ex-atacante Renato Gaúcho, que marcou história com a camisa 7 do Imortal. Autor do gol do título mundial do Grêmio em 83, Renato comandou o clube entre 2013 e 2014.

Falcão: no lado vermelho de Porto Alegre, jogadores que se consagraram no Internacional também tiveram a oportunidade de treinar a equipe. Falcão foi um deles. Um dos maiores jogadores da história do clube, o ex-volante dirigiu o colorado em 2011 e conquistou o Gauchão daquele ano.

Carlo Ancelotti: grande jogador italiano nos anos 70 e 80, Ancelotti defendeu o Milan no final de sua carreira. Anos mais tarde voltou ao clube de Milão para treinar a equipe. Fora oito anos no comando dos rossoneros e duas Ligas dos campeões conquistadas.

Fernandão: capitão do título mundial do Inter em 2006, Fernandão foi mais um ídolo colorado que treinou o time. O ex-camisa 9 dirigiu a equipe em 2012, mas tanto ele quanto Falcão não alcançaram grande sucesso.

Muricy Ramalho: revelado no São Paulo, Muricy brilhou no meio campo tricolor. Ao se aposentar, o pupilo de Telê Santana começou a trabalhar no clube para se formar como treinador. Após afastamento de Telê por problemas de saúde, Muricy assumiu a equipe e retornou ao Morumbi em outras duas oportunidades se tornando um dos maiores treinadores da história tricolor.

Pepe: segundo maior artilheiro da história do Santos, Pepe, o canhão da Vila, treinou o alvinegro praiano em 5 oportunidades e conquistou o Campeonato Paulista de 1973.

Seedorf: vivendo uma grande crise, o Milan recorreu a um dos grandes jogadores de sua história recente para tentar sair da má fase, Clarence Seedorf, que dirigiu o rubro-nego de Milão em 2014, sem grande êxito. Demitido no mesmo ano, Seedorf acabou substituído por outro ídolo do clube.

Filippo Inzaghi: após a queda de Seedorf, o Milan recorreu ao ex-atacante Pippo Inzaghi, que marcou época no clube, e virou treinador da equipe. Comandando o time do San Siro até hoje, Inzaghi ainda não viveu grandes momentos comandando a equipe.

Johan Cruyff: um dos maiores jogadores da história do futebol e ídolo das torcidas do Ajax e do Barcelona, Cruyff foi um técnico de sucesso nas duas equipes.

Pablo Forlán: uruguaio de muito sucesso com a camisa do São Paulo, Forlán treinou o tricolor do Morumbi em 1990. Sem sucesso, a experiência durou apenas quatro meses.

Dudu: um dos grandes craques que formaram a chamada Academia de Futebol no Palmeiras nos anos 60, o ex-volante Dudu treinou o Verdão em três oportunidades e conquistou o título Paulista de 1976.

Franz Beckenbauer: grande jogador da história do Bayern de Munique, o Kaiser comandou a equipe bávara entre 1993 e 1996, e hoje é presidente honorário do time de Guardiola.