Remanescente de 2010, Maicon nega ter pensado em abandonar a Seleção

  • Por Jovem Pan
  • 31/05/2014 13h43
Maicon durante treino do Brasil, 31 de Maio de 2014. HEULER ANDREY/MOWA PRESSMaicon vê alta exposição da Seleção Brasileira como positiva

Apontada como problema na preparação da Copa do Mundo de 2010, a alta exposição da Seleção Brasileira não parece incomodar o lateral Maicon. Em entrevista coletiva neste sábado (31), o jogador da Roma disse ver com bons olhos a grande quantidade de jornalistas que vem acompanhando e registrando cada passo das atividades comandas por Felipão na Granja Comary. Remanescente do grupo que foi eliminado na África do Sul, ele negou que tenha pensado em não vestir mais a camisa do Brasil.

Desde que chegou à Granja Comary, em Teresópolis, o Brasil vem sendo acompanhado por uma multidão de jornalistas. Isso não parece ser problema para Maicon, bem pelo contrário. “Acho que ajuda. Quando você veste a camisa da Seleção Brasileira, a pressão existe a cada dia. Procuramos sempre treinar da melhor forma para mostrar que o grupo está ciente responsabilidade. Estamos levando pelo lado positivo porque as críticas são produtivas e nos ajudam”, disse.

Ele negou também que tenha chegado lesionado à concentração da Seleção Brasileira. “Desde quando a gente se apresentou, todo mundo mostrou uma grande forma, mesmo alguns estando em final de temporada. A mentalidade é sempre todo mundo treinar forte. Agora não há para onde correr, então cada treinamento será muito importante para nossa caminhada na competição”, garantiu.

Questionado sobre uma possível pressão da torcida durante um eventual mal desempenho, Maicon disse acreditar em apoio irrestrito das arquibancadas. “Torcedor brasileiro entendeu isso [o estilo de jogo de Felipão] muito bem na Copa das Confederações, então não será diferente na Copa do Mundo. Claro que é uma competição diferente, mas a torcida vai entender nosso lado e o resultado final será bom”, projetou.

Fantasma de 2010

Depois da traumática eliminação nas quartas-de-final para a Holanda na Copa de 2010, Maicon não foi presença constante nas convocações seguidas. Na ocasião, especulava-se que ele teria perdido a vontade de representar seu país.  Quatro anos mais experiente, ele negou esses boatos. “Depois da Copa do Mundo é claro que a gente precisa de um descanso, mas o Mano [Menezes, antigo técnico da Seleção] esteve em Milão para falar comigo e disse que não havia me esquecido. Nunca pensei em deixar de vestir essa camisa. Quando eu estava no Manchester City, não possuía uma sequência. Depois que fui para Roma, deu resultado para mim e fui lembrado pelo Felipão”, celebrou.

Apesar da queda precoce na África do Sul, Maicon fez questão de relembrar um fato positivo daquele torneio em sua visão particular. “Uma lembrança positiva que eu tenho é meu gol de 2010 [diante da Coreia do Norte, na estreia do Brasil]. Fazer o primeiro gol é algo que vai ficar para o resto da minha vida”, admitiu.