Ricardo Gomes não resiste a pressão e é demitido do São Paulo; Pintado assume

  • Por Jovem Pan
  • 23/11/2016 13h24

Ricardo Gomes comandou o São Paulo em nove partidas: três vitóriasRicardo Gomes comandou o São Paulo em nove partidas: três vitórias

Ricardo Gomes não é mais o técnico do São Paulo. O treinador foi demitido no fim da manhã desta quarta-feira, e coube ao diretor executivo de futebol, Marco Aurélio Cunha, fazer o anúncio oficial à imprensa. Quem vai comandar o time tricolor nos dois últimos jogos do Campeonato Brasileiro é o assistente técnico Pintado.

Cunha explicou que a mudança acontece no momento mais oportuno possível. O São Paulo não corre mais riscos de rebaixamento e nem pode mais se classificar à próxima edição da Copa Libertadores da América. Portanto, já começou a se planejar para a próxima temporada.

“É o momento mais adequado para esta mudança. A partir de agora, pensaremos em novos planos e rumos dentro de uma ideologia que planejamos para 2017. Para a pré-temporada, e consequentemente para a disputa da Florida Cup, teremos um novo treinador”, garantiu o diretor executivo de futebol.

Ricardo Gomes deixa o São Paulo com um aproveitamento baixo, de apenas 42,5%. Contratado no fim de agosto para substituir o argentino Edgardo Bauza, o treinador comandou a equipe tricolor em somente 18 partidas, tendo somado seis vitórias, cinco empates e sete derrotas.

O inédito rebaixamento à Série B não se consumou, é verdade, mas o São Paulo correu sérios riscos durante todo o segundo semestre. Irregular com nunca, o time não jogou bem e só empolgou a torcida em momentos específicos, como na goleada por 4 a 0 sobre o Corinthians, no Morumbi – curiosamente, antes daquela partida, Ricardo Gomes foi bastante vaiado pela torcida, que nunca se encantou com o técnico.

Ele deixa como legado a maior utilização dos garotos da base, como David Neres, João Schmidt, Pedro e Luís Araújo. O maior aproveitamento de Cotia, por sinal, deve marcar a temporada 2017 do São Paulo, como já adiantou Marco Aurélio Cunha.

Desta forma, os principais favoritos para assumir o comando técnico do São Paulo no ano que vem são André Jardine, campeão de quase tudo no sub-20, e Rogério Ceni. Aposentado desde o ano passado, o ex-goleiro viajou à Europa, visitou clubes e concluiu um curso na Inglaterra para se preparar para a nova função. Recentemente, o presidente tricolor, Leco, disse que as portas do clube estavam abertas para o ídolo, que, por sua vez, também já externou o desejo de treinar o time do coração.

O colombiano Reinaldo Rueda, campeão da Libertadores com o Atlético Nacional-COL, e o experiente Abel Braga, atualmente sem clube, correm por fora – bem como Vanderlei Luxemburgo, desempregado desde que foi demitido do Tianjin Quanjian, da segunda divisão chinesa.