Rivalidade, superação e chance de zebra: curiosidades que fazem Rousey x Correia uma luta imperdível

  • Por Jovem Pan
  • 29/07/2015 17h49
A americana Ronda Rousey defenderá o cinturão dos pesos-galo contra a paraibana Bethe Correia

Uma das principais atrações do UFC 190, que acontece neste sábado (1º de agosto) no Rio de Janeiro, é a disputa pelo cinturão dos pesos-galo feminino. Nele, a americana Ronda Rousey, detentora do título, será desafiada pela paraibana Bethe Correia “Pitbull”. Entretanto, além da luta em si, existem várias curiosidades e aspectos envolvidos que a tornam imperdível, como, por exemplo, a rivalidade entre as duas e a chance de uma das maiores zebras do UFC acontecer. Confira essas e outras na lista abaixo.

Desavenças antes da luta

Toda a luta do UFC é precedida por provocações entre os adversários – o que, muitas vezes, é mais um meio de promover o evento do que um sentimento real de antipatia. No caso de Bethe e Ronda, no entanto, parece haver algo mais sério. Depois de a americana dizer que a brasileira ‘veria Jesus’ e seria humilhada em casa, a resposta foi pesada. Bethe disse para a rival não se matar depois de ser derrota.

Acontece que isso mexeu com os sentimentos de Ronda, já que seu pai se suicidou quando ela era criança. Ela devolveu dizendo que nunca quisera bater tanto em alguém quanto em Bethe, que por sua vez pediu desculpas e afirmou não saber do trauma da adversária. Se as discussões estão tão acirradas, imagine na hora do encontro no octógono.

Apostas de um só lado

Apesar de Bethe Correia ser, indiscutivelmente, uma grande lutadora, o favoritismo, pelo menos nas casas de apostas, está todo do lado de Ronda. São tantos apostando em sua vitória, que a linha de aposta da americana está em -1600 – ou seja: para cada dólar colocado nela, o lucro seria de apenas seis centavos. Já a brasileira, caso vença, fará a alegria de seus apostadores: para cada dólar investido, virão outros oito. Pelo menos segundo essa perspectiva, uma vitória de Bethe seria uma grande zebra.

Passado difícil e ascensão meteórica

Além dos golpes que dão no presente, as duas lutadores guardam história emocionantes no passado. Como dito acima, Ronda Rousey perdeu o pai, que se matou, quando ainda era criança. Além disso, sofreu com complicações ao nascer, por falta de oxigênio no parto, e teve de superar problemas na fala por conta disso. Mais pra frente, conquistou, no judô de Pequim de 2008, o bronze, primeira medalha dos EUA com uma mulher neste esporte. A conquista, no entanto, foi menos do que esperava, e Ronda chegou a abusar do álcool e das drogas por conta da decepção. No UFC, no entanto, se recuperou e se tornou a maior lutadora de MMA do mundo.

Já Bethe Correia nasceu numa família de classe média da Paraíba – era, como ela mesma conta, uma “patricinha” – e levava uma vida estável em Natal, no Rio Grande do Norte. Era casada, formada em contabilidade e com um emprego na área. No entanto, resolveu entrar na academia por estar ganhando peso. Optou por lutar kung-fu, o que mudou sua vida. Apaixonada pela luta, largou emprego e esposo para se dedicar ao esporte, mesmo tendo 29 anos. Em 2013 fez sua primeira luta pelo UFC, e, menos de dois anos depois, já disputa um cinturão.

Presenteando (e conquistando) o público

Diferentemente de lutadores como Chael Sonnen, que criticava o Brasil para provocar Anderson Silva, Ronda Rousey tem uma forma diferente de lidar com o público. A americana chegou a dizer que lutaria em casa no Rio de Janeiro, e provou isso no primeiro treino aberto do UFC. Cheia de simpatia, ela atendeu o público por uma hora e afirmou: “Bethe disse que o povo brasileiro merece ter o cinturão aqui, então decidi que, após eu vencer, não levarei o cinturão comigo, ele deve ficar em algum lugar aqui no Brasil, um presente meu”. De que lado estará o público na luta entre as duas?

Veja a histeria do público brasileiro com Ronda no vídeo abaixo:

Confira o card completo do UFC 190.

UFC 190
Rio de Janeiro, Brasil
Sábado, 1 de agosto de 2015

Card principal

Ronda Rousey x Bethe Correia
Mauricio Shogun x Rogério Minotouro
Fernando Açougueiro x Glaico França
Dileno Lopes x Reginaldo Vieira
Stefan Struve x Rodrigo Minotauro
Antônio Pezão x Soa Palelei
Cláudia Gadelha x Jessica Aguilar

Card preliminar

Demian Maia x Neil Magny
Rafael Feijão x Patrick Cummins
Warlley Alves x Nordine Taleb
Iuri Marajó x Leandro Issa
Vitor Miranda x Clint Hester
Hugo Wolverine x Guido Cannetti