Rogério Ceni minimiza peso de erro do árbitro e já projeta reação do São Paulo

  • Por Estadão Conteúdo
  • 19/02/2015 12h26
***FOTO EMBARGADA PARA INTERNET-CAPA DIÁRIO DE SP*** SÃO PAULO, SP, 18.02.2015: LIBERTADORES/CORINTHIANS-SÃO PAULO - Rogerio Ceni falha e Jadson marca seu gol - Partida entre Corinthians x São Paulo, válida pelo primeiro jogo do grupo 2 da Taça Libertadores da América 2015, na Arena Corinthians (Itaquerão), na zona leste de São Paulo. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)Corinthians bate São Paulo em clássico na Libertadores; veja imagens

O goleiro Rogério Ceni analisou de forma bastante lúcida a derrota por 2 a 0 para o Corinthians, sofrida pelo São Paulo na noite desta quarta-feira, no Itaquerão, onde os dois times estrearam na fase de grupos desta Copa Libertadores. O goleiro reconheceu que a sua equipe “não pode reclamar do resultado da partida” pela fraca atuação que teve, assim como minimizou o peso do erro do árbitro Ricardo Marques Ribeiro na jogada irregular que originou o segundo gol corintiano.

Para o capitão são-paulino, o jogo precisa ser analisado como um todo, embora eke tenha criticado o juiz por não ter marcado falta de Emerson sobre Bruno no contra-ataque puxado pelo Corinthians que resultou no gol de Jadson no segundo tempo. 

“Não podemos reclamar do resultado, porque não criamos uma chance clara de gol para tentar empatar o jogo. Aquele lance (da falta) foi um lance muito fácil de se apitar, pelo modo que ele (árbitro) conduziu a partida em todo o jogo, parando o jogo em toda e qualquer mínima infração”, analisou o ídolo tricolor.

“Naquele lance foi uma carga excessiva do Emerson no Bruno. Era uma falta simples de apitar, e esse lance decretou a vitória do Corinthians, pois com 1 a 0 você sempre tem uma bola parada, algo que você pode fazer para empatar. Mas era um lance isolado, você não pode reclamar do resultado do jogo, mas o tom que ele (árbitro) deu para a partida não foi o tom que ele deu para aquele lance”, completou.

Sem exibir grande abatimento ou revolta, diferentemente de Paulo Henrique Ganso, que chegou a dizer que o São Paulo foi “roubado” e o árbitro deveria “sair de camburão” do estádio, Rogério preferiu projetar uma reação são-paulina nos próximos jogos da Libertadores. “Cabe a nós reagirmos. Precisamos da vitória contra o Danubio na próxima quarta-feira para estabilizar as coisas. Depois, ainda teremos a volta contra o Corinthians, quando precisaremos vencer para compensar a derrota que sofremos”, enfatizou o goleiro, se referindo a confrontos que ocorrerão no Morumbi