Rossi defende liderança da MotoGP em Le Mans, um de seus circuitos preferidos

  • Por Agencia EFE
  • 14/05/2015 16h44

Le Mans (França), 14 mai (EFE).- Líder da MotoGP após quatro corridas disputadas, das quais venceu duas, o italiano Valentino Rossi (Yamaha) defenderá a primeira posição neste fim de semana no Grande Prêmio da França, no circuito de Le Mans, um de seus preferidos em todo o calendário.

Rossi já subiu a todos os três lugares do pódio na prova francesa. Foram três vitórias, em 2002, 2005 e 2008, além de cinco segundas colocações e quatro terceiras.

Aparentemente o traçado em Le Mans é mais propício à Yahama, pelo menos em relação ao número de vitórias com pilotos em atividade, com cinco, duas delas do espanhol Jorge Lorenzo, que também levou a melhor duas semanas atrás, em Jerez de la Frontera.

“(Le Mans) É uma boa pista, mas cada ano é uma corrida diferente. Normalmente é uma boa corrida para nós. Imagino que Marc Marquéz também será forte neste ano, mas eu gosto deste circuito”, disse Rossi em entrevista coletiva.

A declaração do italiano mostra qual é a situação do campeonato. O dono de sete títulos da principal categoria da Motovelocidade soma 82 pontos, 26 a mais que Marquéz (Honda), quarto colocado. Embora haja dois pilotos entre eles, Andrea Dovizioso (Ducati), também da Itália, com 67 pontos, e o espanhol Jorge Lorenzo (Yamaha), que tem 62, a disputa pelo título deverá ficar entre o heptacampeão e o vencedor das últimas duas temporadas.

Além das dificuldades que vem enfrentando nas primeiras corridas do ano, em que obteve apenas uma vitória, na Argentina, Márquez ainda precisa lidar com uma fratura no dedo mínimo da mão esquerda no fim do mês passado. Ele garantiu estar recuperado, mas fará uma adaptação ao guidão de sua moto.

“Vou testar a minha luva e espero poder pilotar como sempre, já sem a camada extra de borracha no guidão. Se isso me ajudar, no entanto, colocarei outra vez, mas a mobilidade já está 100%. Nem preciso mais tomar anti-inflamatórios”, disse o bicampeão mundial.

Outro que se recuperou foi o espanhol Dani Pedrosa (Honda), que participou apenas do primeiro GP de 2015, no Catar. Depois, ele se submeteu a uma cirurgia devido a uma síndrome compartimental no antebraço direito.

Por outro lado, o italiano Andrea Iannone (Ducati), que sofreu uma queda em um treino em Mugello ainda não tem presença confirmada na prova em Le Mans por ter deslocado o ombro esquerdo.

Na Moto2, o francês Johann Zarco (Ajo Kalex) defenderá a liderança em casa, com 16 pontos de frente (73 a 57) para o segundo colocado, o alemão Jonas Folger (AGR Kalex). Já o britânico Danny Kent (Leopard Honda) vem sendo soberano na Moto3, com 91 pontos, contra 60 do vice-líder, o espanhol Efrén Vázquez, seu companheiro de equipe. EFE