Ruth Jebet bate recorde mundial dos 3.000 metros com obstáculos em Paris

  • Por Estadão Conteúdo
  • 27/08/2016 18h20

Ruth Jebet bateu o recorde dos 3000m; no Rio 2016 fundista do Bahrein ficou a um segundo da marca

EFE Ruth Jebet bateu o recorde dos 3000m; no Rio 2016 fundista do Bahrein ficou a um segundo da marca

A fundista Ruth Jebet, do Bahrein, continua em ótima forma após os Jogos Olímpicos do Rio. Campeã olímpica da prova dos 3 000 metros com obstáculos no Engenhão, ela disputou uma nova competição apenas doze dias após subir ao pódio, e conseguiu obter um desempenho ainda melhor: venceu a etapa de Paris da Diamond League e quebrou o recorde mundial da distância. 

Naturalmente favorita para a prova dos 3.000m com obstáculos, Jebet fez um tempo quase sete segundos mais rápido que o marcado nos Jogos do Rio. Na ocasião, ela correu em 8min59s75. Desta vez, ela cravou a marca de 8min52s78, superando o antigo recorde, que era da russa Gulnara Galkina, desde os Jogos de Pequim, em 2008, com 8min58s81.

Curiosamente, a prova teve o pódio exatamente igual ao da Olimpíada do Rio. A queniana Hyvin Kiyeng Jepkemoi ficou em segundo lugar, desta vez com o tempo de 9min01s96, seguida da norte-americana Emma Coburn, que correu para 9min10s19.

Nos Jogos do Rio, Jepkemoi, que era uma das mais cotadas para o ouro olímpico, fez um tempo pior que o da prova deste sábado. Na ocasião, ela completou o percurso em 9min07s12. Já Coburn foi melhor na competição olímpica em comparação, quando fez 9min07s63.

Beatrice Chepkoech, também queniana, foi outra a repetir a colocação obtida no Rio de Janeiro, com a quarta colocação, assim como a quinta, a etíope Sofia Assefa. Na prova masculina, o vencedor foi outro fundista da Etiópia, Yomif Kejelcha, que não disputou os Jogos Olímpicos.

LAVILLENIE VENCE – Em casa no Stade de France, Renaud Lavillenie venceu a disputa do salto com vara na etapa deste sábado da Diamond League com a marca de 5,93 metros. O francês, que recentemente foi vice-campeão olímpico, tentou superar os 6,00 metros, mas não teve sucesso. 

Ainda assim, garantiu o ouro e deu o troco no norte-americano Sam Kendricks, que o havia superado na última quinta-feira, na etapa de Lausanne da Diamond League. Agora o saltador dos Estados Unidos ficou em segundo lugar, com a marca de 5,81m. O pódio foi completado pelo checo Jan Kudlicka, com 5,71m.

DARLAN DECEPCIONA – Único representante do País na etapa de Paris, Darlan Romani teve desempenho ruim na disputa do arremesso de peso e ficou apenas na décima colocação, com a marca de 19,45 metros – nos Jogos do Rio, garantiu o quinto lugar com 21,02m, o melhor resultado da sua vida. 

O neozelandês Tom Walsh, bronze no Rio-2016, levou o ouro em Paris, com 22,00 metros. Ele venceu o norte-americano Ryan Crouser por uma diferença mínima, de apenas um centímetro. O terceiro lugar ficou com Kurt Roberts, também dos Estados Unidos, com 20,78m.