Sainz e Verstappen acreditam na permanência na Toro Rosso em 2016

  • Por Agência EFE
  • 11/11/2015 21h56
Max Verstappen dirige um simulador em São Paulo; piloto holandês crê que continuará na Toro Rosso

Os pilotos da Toro Rosso, o espanhol Carlos Sainz Jr. e o holandês Max Verstappen, disseram nesta quarta-feira em São Paulo, onde no próximo domingo será disputado o Grande Prêmio do Brasil, que provavelmente continuarão na equipe italiana na próxima temporada da Fórmula 1.

“Embora não esteja 100% confirmado, o mais provável e mais lógico é a continuação”, afirmou Sainz em entrevista na capital paulista, palco da penúltima prova da temporada da principal categoria do automobilismo.

“Não está totalmente confirmado, mas deverá ser assim”, limitou-se a dizer Verstappen, que em março se tornou o piloto mais jovem da história da Fórmula 1, com apenas 17 anos.

Os dois competidores concordaram que o objetivo para a corrida no Autódromo de Interlagos é tirar a vantagem da Lotus na briga pelo sexto lugar do Mundial de Construtores, que atualmente é de seis pontos (71 a 65).

“Um sexto lugar ajudaria muito para o ano que vem, embora pontuar não será fácil porque o circuito tem uma reta muito longa, e sabemos que isso não nos beneficia, mas há outros trechos que podemos explorar”, analisou Sainz, que fez um balanço positivo de sua temporada de estreia na F-1.

“Foi uma temporada muito boa. Posso garantir a todo mundo que, com a experiência e a aprendizagem que essas 18 corridas me deram, sou um piloto completamente diferente do que era”, destacou.

Verstappen, por sua vez, falou da felicidade que sente por poder correr no Brasil, país que, segundo ele, tem grande relevância no esporte. “Vir até aqui é sempre especial. Me traz histórias por Ayrton Senna, que sempre foi um grande exemplo, e por meu pai”, disse o piloto de 18 anos, em referência a Jos Verstappen, que estreou na categoria em Interlagos em 1994.

“Meu pai foi uma grande influência em minha carreira. Fizemos tudo juntos, desde o kart até a Fórmula 1. É muito difícil chegar aqui e pouca gente tem a oportunidade de conseguir isso como pai e filho. Correr contra os melhores do mundo não é fácil, mas conseguimos”, comemorou.