Santos e Atlético-PR empatam e continuam iguais sem ambição no campeonato

  • Por Jovem Pan
  • 19/11/2014 21h42
CURITIBA, PR, 19.11.2014: ATLÉTICO-PR-SANTOS - Robinho na partida entre Atlético-PR X Santos, realizada na noite desta quarta-feira (19) na Arena da Baixada em Curitiba (PR), pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. (Foto: Geraldo Bubniak/AGB/Folhapress)Robinho domina a bola em jogo morno contra o Atlético-PR

Em um jogo que valia pouca coisa pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro (faltam três), Santos e Atlético Paranaense mantiveram a mesma pontuação – 47 pontos após o empate, na 8ª e 10ª posições.

O Santos abriu o placar fora de casa, na Arena da Baixada, com belo gol de Robinho ainda no primeiro tempo e o Atlético empatou logo no começo do segundo com Cleberson, de cabeça.

Na primeira parte da tabela, os dois times não se preocupam mais com o rebaixamento nem cogitam a Libertadores.

O jogo, porém, foi bastante movimentado e os dois times buscaram o gol, a despeito do placar final. Confira como foi a partida:

O Santos tentou aplicar uma pressão inicial, mas a primeira chance foi do Furacão. Aos cinco minutos, Marcelo chutou forte de longe e a bola passou rente à trave esquerda de Aranha.

O time da casa continuava pressionando e uma cabeçada de Cléo e um chute de Delatorre ameaçaram Aranha um em seguida do outro. As duas jogadas foram criadas pela direita com Sueliton, um dos melhores atleticanos no jogo, que deitava e rolava em cima do lateral esquerdo santista, Caju.

O jogo, então, se tornou mais equilibrado. As chances eram para os dois lados. Houve jogadas aéreas seguidas com finalizações de Cleberson, pelo Atlético, e Cicinho, vindo de trás, após belo cruzamento de Robinho, aos 23 e 25.

Logo após, aos 27, o craque chamou para si a responsabilidade. Após belo domínio de bola alta, com a redonda ainda pingando, Robinho arriscou bonito chute de fora da área em meio a dois defensores adversários e estufou a rede do canto direito do goleiro Weverton, sem chance. 1 a 0 para o Santos.

Na comemoração o craque das pedaladas embalou um bebê imaginário em homenagem à nova gravidez de sua esposa.

Até o final do primeiro tempo, o jogo esfriou e o Santos conseguiu administrar bem a vantagem mínima no placar, sem temer muito as investidas do time da casa.

Já o segundo tempo começou fervendo. Logo aos quatro minutos, o Atlético conseguiu o gol de empate, mudando todo o panorama que os técnicos haviam planejado para a etapa final da partida.

Cleberson apareceu bem na área após cobrança de escanteio e testou firme no canto esquerdo de Aranha. A bola ainda bateu na trave antes de morrer no fundo da rede para empatar o jogo: 1 a 1.

A tentativa de reação alvinegro esbarrava na bem postada zagas atleticana. O lance seguinte de perigo foi chute de fora da área de Robinho que passou perto do ângulo esquerdo de Weverton.

O Santos buscava mais o gol da vitória, inclusive com cabeçada forte do zagueiro Neto. As entradas de Douglas Coutinho no Atlético e Rildo no Santos (no lugar de Damião, novamente apagado em campo) deram mais mobilidade aos dois times.

Aranha furou aos 25 e, se Marcelo chegasse na bola, faria o gol. Aos 36, foi a vez do Santos: Rildo recebeu com muita liberdade pela esquerda e cruzou para Lucas Lima, que vinha de trás na velocidade. Por um número a menos de chuteira, o meia não conseguiu encostar na bola e empurrá-la para o gol aberto.

Lucas Lima, o melhor do Peixo no segundo tempo, Rildo e Robinho ameaçaram bastante a zaga atleticana, mas não conseguiram converter as jogadas em gols. Quase o “quem não faz toma” acontece e o último lance de perigo foi do Atlético-PR, que chegou à trave de Aranha após toque caprichisi de calcanhar, aos 40 minutos.

No fim, tudo igual para dois times sem muitas ambições ou medos no Campeonato.