Seleção do Zimbábue é expulsa da fase de classificação para o Mundial de 2018

  • Por Agencia EFE
  • 12/03/2015 10h31
Jogadores da seleção de Zimbábue

A Comissão Disciplinar da Fifa comunicou nesta quinta-feira à Associação de Futebol do Zimbábue (ZIFA) sua expulsão da fase de classificação para a Copa do Mundo de 2018, que será disputada na Rússia, como resultado da falta de pagamento de uma dívida ao técnico José Claudinei Georgini.

“A expulsão ocorre como resultado da falta de pagamento de uma dívida pendente ao treinador José Claudinei Georgini, seguindo a decisão adotada em 15 de agosto de 2012 pelo juiz único da Comissão do Estatuto do Jogador da Fifa”, explicou o ente reitor do futebol mundial em comunicado.

Esta resolução do juiz único era definitiva e vinculativa e, perante a negativa da Associação de Futebol do Zimbábue a saldar a dívida, em aplicação do artigo 64 do Código Disciplinar da Fifa foi aberto um procedimento disciplinar a pedido do preparador brasileiro.

Em abril de 2013, a Comissão Disciplinar impôs uma multa à ZIFA, que recebeu um prazo de 60 dias para resolver a metade de sua dívida com o técnico e 120 dias para resolver o total.

A Associação de Futebol do Zimbábue foi avisada que se não cumprisse com os prazos estipulados, o caso voltaria a ser apresentado à Comissão Disciplinar “para a possível imposição de sanções mais duras, o que poderia levar à expulsão de uma competição da Fifa”, apontou o organismo presidido por Joseph Blatter.

Passado este tempo, a Comissão Disciplinar outorgou à ZIFA “um último período de 60 dias para saldar a dívida com o senhor Georgini” além da advertência que, “se a dívida não fosse saldada nesse prazo, seria imposta uma multa e a federação expulsa da fase de classificação do Mundial de Rússia de 2018”.

Esta expulsão foi ordenada de maneira automática sem que fora necessário um novo acordo da Comissão Disciplinar da Fifa.

A Associação de Futebol do Zimbábue não apelou da decisão.