‘Sem vergonha’ da Seleção, Neymar frisa que Brasil não merecia goleada

  • Por Jovem Pan
  • 10/07/2014 19h40
Treino da Seleção Brasileira na Granja Comary, em Teresópolis-RJ.. FOTO: Jefferson Bernardes/ Vipcomm Jefferson Bernardes/Vipcomm Neymar fala em coletiva da Seleção Brasileira

Recuperando-se de uma fratura na lombar, Neymar concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira (10), na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), e ele falou sobre a dolorosa eliminação da Seleção Brasileira nas semifinais da Copa do Mundo.

Para o camisa 10, a chance de reencontrar os companheiros nesta tarde foi muito boa, mas ele frisa que a goleada sofrida pela Alemanha vai causar tristeza em todos por algum tempo.

“Estou muito feliz por ter reencontrado meus companheiros. Claro que em uma situação ruim, mas só de ter a oportunidade de estar andando, eu já fico contente. Eu disse para ele que vamos voltar a estar juntos. Se não conseguimos o título, o importante é que estamos fechados, unidos. Vamos terminar honrando a camisa e é isso que vamos fazer neste sábado. Que a gente seja alegre como sempre. Não é por causa de uma derrota que temos que abaixar a cabeça”, disse o atacante do Barcelona. “O esporte é assim, faz parte do futebol. Tem que estar para ganhar ou perder. E eu não gosto de perder de jeito nenhum. É doloroso, mas vai passar. Dias melhores virão. A gente vai fazer de tudo para que possamos devolver a alegria ao torcedor. Você vê que o semblante de cada um é de tristeza, mas espero que a gente possa voltar à vida o mais rápido possível”, prosseguiu.

Neymar também negou que haja uma justificativa para um revés por 7 a 1, ainda mais da forma que aconteceu, e se recusou a falar sobre a hipótese de o final ter sido diferente caso ele estivesse em campo.

“É uma coisa inacreditável, inexplicável. Não tem o que explicar. Foi um apagão que a equipe teve, acabamos tomando gols e fica difícil de reverter. Não existe o ‘se’, ‘se eu estivesse em campo’. Eu já passei por isso e sei como é conviver com um apagão dentro de campo. Você não consegue organizar, acertar um passe, nada. Não tem explicação. Eu não sei, perguntei para eles e eles falaram que não tem como explicar. A gente só tem que lamentar a derrota, tem que ficar triste sim”, declarou. “Todos os jogadores trabalharam para isso e todos são merecedores de estar aqui. Agora, não é por causa de uma derrota, de perder o título, que todos os jogadores são ruins. Aconteceu. Não tem o que falar. Pode acontecer tudo com a gente, se machucar, tomar uma goleada, vencer por goleada, ser expulso. A gente consegue assimilar tudo, mas a gente é forte o suficiente para aguentar. Mas você vê sua família chorando, seu filho chorando, pessoas que você não conhece chorando. É complicado”, admitiu o jovem jogador.

Sem negar que os últimos dias foram alguns dos piores de sua vida, Neymar fez questão de agradecer o apoio de todos.

“Se eu fosse imaginar uma semana ruim, não imaginaria essa. É até pior. Só não está sendo tão horrível por causa das mensagens das pessoas, do apoio da família, dos companheiros. As pessoas que vem me ajudando nestes dias de luta, de dificuldades. É tudo um aprendizado. Quando acontece algo ruim, a gente para pra pensar, conversa com Deus. Se aconteceu, tinha que acontecer”, afirmou.

O camisa 10 da Seleção Brasileira comentou sua admiração pelos companheiros e garantiu que sempre tenta fazer algo novo.

“Eu sempre faço as coisas diferentes. Sempre tento ter um algo a mais. Se eu treino hoje bem, amanhã quero treinar melhor ainda. Vou ter que fazer mais coisas, me dedicar mais, para daqui a quatro anos estar em uma Copa do Mundo novamente. Fomos fracassados sim. Perdemos. Não queríamos perder dessa forma. Mas eles correram, buscaram até o final. Não pararam de correr mesmo com 6 a 0, 7 a 0. Admiro cada um desses caras. São pessoas que eu passo a admirar ainda mais. A gente se sente humilhado, envergonhado, porque a gente não queria isso, temos família, temos um povo que torce para a gente. Mas não tenho vergonha de ser brasileiro, de fazer parte da equipe que perdeu por 7 a 1”, contou.

“Tenho orgulho de falar que joguei com Thiago Silva, com Julio César, com Fred. Conheço cada familiar, cada filha que tem ali por trás. O carinho que a gente encontra pelas ruas. Isso tudo faz parte, é para a gente aprender de alguma forma. A gente vai sorrir e aprender com tudo isso”, completou.

O atacante de 22 anos de idade aproveitou a coletiva para alfinetar a mentalidade dos brasileiros, sobretudo da imprensa, e disse que, após derrotas, as lições têm que ser aprendidas, mas que nem tudo deve ser mudado.

“Os brasileiros, principalmente a imprensa, tem a mania errada de que, quando perde, tem que mudar. Mas não é assim, eu aprendi que não é assim. A gente aprende na derrota também. Estou falando que essa mania que nós temos não é assim. Quando se perde, tem que corrigir. Isso é mais importante do que pensar em mudar alguma coisa”.

Neymar admitiu que vai torcer para que os companheiros de Barcelona, Messi e Mascherano, sejam campeões, mas rechaçou que esteja apoiando a Argentina. Além disso, ele falou sobre seus sonhos para o futuro.

“Meu próximo sonho é ser feliz novamente, é voltar a jogar, a voltar a dar alegria ao povo brasileiro e aos meus companheiros. Voltar a dar alegria a todos. Meu sonho não acabou, ele continua. Meu sonho sempre foi encantar a todos com o meu futebol. Sempre fiz tudo sorrindo e não é por causa de uma derrota que vou deixar meu sonho ir embora. Meu sorriso pode se fechar por algum dia, por alguns minutos, mas não para sempre”, finalizou.