Sindicato dos Atletas fará greve caso invasores do CT não sejam detidos

  • Por Jovem Pan
  • 03/02/2014 21h06

Sindicato orienta jogadores a denunciarem criminalmente torcedores e coloca como real a possibilidade de greve caso ninguém seja preso por agressões

Mural destruído no CT do Corinthians

As cenas de barbárie no CT do Corinthians no último sábado não passaram despercebidas pelo Sindicato dos Atletas Profissionais de São Paulo. Em entrevista exclusiva para a Rádio Jovem Pan nesta segunda-feira, Rinaldo Martorelli, presidente da entidade, afirmou que as atitudes necessárias para uma greve dos atletas no Campeonato Paulista já estão sendo tomadas, e a ação será feita caso os vândalos não sejam presos. 

► Confira a tabela do Campeonato Paulista

“(Nós queremos) a prisão e a responsabilidade dos infratores. Nas imagens a gente percebe que a polícia estava presente e que a polícia sequer autuou, prendeu ou fez  averiguação de pelo menos cinco pessoas. Então onde está o Poder Público?  A gente quer comprometer o Poder Público definitivamente senão a gente não vai conseguir nada”, disse Martorelli. 

Ainda não se sabe se tal postura será tomada já para a rodada da próxima quarta-feira ou apenas para o final de semana. De acordo com o presidente do Sindicato dos Atletas, tudo depende da velocidade com que conseguirá organizar os atletas para que uma atitude drástica deste nível seja tomada. 

“A gente tem  que ter primeiro essas reuniões, e por mais que a gente queira apressá-la, todo mundo tem agenda. Achamos que amanhã (terça) conseguiremos definir as reuniões. Ainda tem o procedimento jurídico, eu não sei se as notificações a gente consegue  fazer até quarta-feira. Mas se não para quarta para o fim de semana já  teremos uma posição muito mais concreta e efetiva”, disse. 

Na manhã do último sábado, diversos torcedores corintianos invadiram o CT Joaquim Grava para cobrar os jogadores sobre os resultados ruins da equipe, principalmente a goleada por 5 a 1 contra o Santos. O próprio presidente Mário Gobbi afirmou que o atacante Guerrero chegou a ser agredido, assim como outros funcionários do clube. Os jogadores ficaram escondidos durante todo o incidente, enquanto o técnico Mano Menezes chegou a se reunir com alguns líderes do grupo. 

Para Martorelli, o grande risco é que os jogadores comecem a ser perseguidos individualmente, em momentos que não poderão contar com a segurança da polícia ou dos seguranças corintianos. “Infelizmente, o atleta no dia dia pode continuar com  problemas. No jogo em si é fácil garantir a segurança. O problema é quando  dispersa o grupo de atletas e eles fica a mercê desses marginais, que continuam aí atrapalhando a vida do futebol brasileiro”, defendeu. 

Mesmo disposto a tomar medidas radicais, o presidente do Sindicato dos Atletas ressalta que qualquer medida só poderá ser feita depois que os próprios jogadores do Corinthians tomarem uma atitude. Um delgado deve comparecer ao CT na próxima terça, e a recomendação do sindicato é que os atletas denunciem criminalmente os torcedores de sábado. 

“O atleta tem que fazer representação. Um passo muito importante já foi feito, a Delegacia responsável se comprometeu a ir até o clube para que eles  façam isso. os atletas também tem que assumir a sua responsabilidade e pelo menos representar esse grupo de vândalos”, concluiu.