Sócio do Barça que processou Rosell cogita estender acusação ou retirá-la

  • Por Agência EFE
  • 24/01/2014 16h28
EFE/Albert OlivéSandro Rosell

O sócio do Barcelona Jordi Cases, que denunciou o ex-presidente do clube Sandro Rosell por não ter declarado parte do dinheiro usado na contratação do atacante Neymar, informou nesta sexta-feira  que refletirá no final de semana sobre a possibilidade de ampliar o processo ao novo mandatário, Josep Maria Bartomeu ou mesmo retirá-lo.

Cases iniciou um processo judicial que acarretou na renúncia de Rosell, embora o dirigente tenha dito que sua decisão se deveu à segurança de sua família e por não querer misturar a acusação com a presidência do Barça.

Como os vários contratos do acerto com Neymar contam com a assinatura de Bartomeu e do vice-presidente de economia do clube, Javier Faus, o sócio pode estender a denúncia aos dois.

Cases disse que esperará o pronunciamento que será feito hoje pelo novo presidente do Barcelona, mas se disse surpreso com a vontade de Bartomeu de terminar o mandato, em 30 de junho de 2016.

“Vou refletir neste fim de semana e conversarei com meu advogado (Felipe Izquierdo) no domingo. A decisão final será minha, só minha”, garantiu o sócio.

Cases disse estar vivendo momentos de tensão e surpreso com a maneira como o “caso Neymar” passou a fazer parte de sua vida, especialmente depois de ter visto sua casa e seu ambiente de trabalho cercados pela imprensa nos últimos dias.

“Estou um pouco cansado de tudo. Neste fim de semana definirei o que fazer. Tenho três opções: continuar com o processo que está em andamento, ampliar a denúncia a Bartomeu e a Faus ou retirá-la”, destacou.

“O que está claro é uma coisa: eles já estão há mentindo dois anos. Por isso, depois da desconsideração que tiveram quando lhes pedi informações sobre o contrato de Neymar, interpus uma denúncia para obter a informação. Sou torcedor do Barcelona e não estou contra o Barça, nunca faria isso”, completou.