Solidariedade, medo ou lucro: as curiosas promoções de ingressos feitas no futebol

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2015 18h58
Diversos produtos já entraram em promoções de partidas de futebol pelo Brasil

Para assistir à partida de volta das quartas de final do Campeonato Brasileiro da Série C, contra o Vila Nova, no Canindé, a torcida da Portuguesa terá uma opção a mais além da compra com dinheiro. Em uma promoção conjunta com a Federação Paulista de Futebol (FPF), o clube permitirá que os torcedores troquem duas garrafas pet por um ingresso. A medida faz parte do projeto Futebol Sustentável.

Só que a Lusa, que precisa reverter a derrota sofrida em Goiás por 1 a 0 para continuar sonhando com o acesso à segunda divisão, não foi a primeira a fazer uma promoção curiosa na hora de vender seus ingressos. Em tempos de preços abusivos para se assistir a uma partida de futebol, vale a pena relembrar outros casos que mostravam como antigamente era mais barato ir ao estádio.

Para Timão desesperado, três latinhas = um ingresso

Em 2004, a Pepsi, patrocinadora do Corinthians, resolveu bancar uma promoção em partida decisiva do Campeonato Paulista, contra a Portuguesa Santista. Para conseguir um ingresso, bastava levar três latinhas de refrigerante. A ajuda da torcida corintiana no Pacaembu era necessária, mas não foi o bastante para impedir a derrota por 1 a 0. O Timão, então ameaçado pelo rebaixamento, só não caiu para a Série A2 porque o São Paulo venceu o Juventus por 2 a 1, com dois gols de Grafite.

“Au, au, au, devolve o meu Nescau!”

A empresa de alimentos Nestlé patrocinou o Campeonato Brasileiro de 2005 e ofereceu ao vencedor (o Corinthians) um troféu banhado a ouro. Mas, além disso, fez uma promoção na hora de vender os ingressos: o torcedor poderia obtê-los ao dar latas do achocolatado Nescau. Em uma partida contra o São Caetano, o Atlético-MG chegou à impressionante marca de 35.411 entradas entregues por meio da promoção. O problema é que o time decepcionou em campo e, ao perder por 3 a 2 para o São Caetano, ouviu de seus torcedores o grito: “Au, Au, Au, devolve o meu Nescau!”. A moda pegou e outras torcidas aderiram ao protesto.

As garrafas pet predecessoras

A Portuguesa, na verdade, não foi o primeiro clube a adotar ao projeto Futebol Sustentável. O Bragantino, por exemplo, quando recebeu o Boa Esporte no Estádio Nabi Abi Chedid, em 22 de setembro, partida válida pela Série B, também realizou a promoção. O resultado foi uma fartura de garrafas de plástico, como pode ser visto na imagem abaixo.

Os famigerados (e solidários) alimentos não perecíveis

Em amistosos beneficentes entre jogadores famosos e seus amigos, é comum os ingressos serem trocados por alimentos não perecíveis, agasalhos ou brinquedos. Em jogos oficiais, de campeonatos importantes, por outro lado, a prática não é tão comum. Mesmo assim, já foi feita em algumas ocasiões, como em partida entre Goiás e Aparecidense, pelo Campeonato Goiano de 2009. Em 2012, o Grêmio fez coisa parecida: quem fosse sócio ou comprasse um ingresso poderia obter outro em troca de 3kg de alimentos não perecíveis. Como a bilheteria é uma fonte de renda importante para os clubes, esse tipo de iniciativa solidária dificilmente acontece em jogos oficiais.