Talento, coragem e sorte: há 15 anos Rubinho conquistava a primeira vitória na F1 em corrida alucinante

  • Por Jovem Pan
  • 30/07/2015 09h25
Depois de largar em 18º

O dia 30 de julho de 2000 ficou marcado na história do automobilismo brasileiro. O penúltimo dia do sétimo mês daquele ano simbolizou o fim de um grande jejum brasileiro na Fórmula 1 e, mais do que isso, marcou a primeira vitória da carreira de Rubens Barrichello na história da principal categoria do automobilismo mundial.

Com ares dramáticos, a primeira vitória de Rubinho na Fórmula 1 completa 15 anos nesta quinta-feira (30). Há exatamente uma década e meia, o piloto, em seu primeiro ano na Ferrari (depois de passagens pela Jordan e pela Stewart), mostrou todo seu potencial em uma corrida totalmente imprevisível e, mesmo largando atrás no grid, cruzou a linha de chegada do circuito de Hockenheimring na primeira posição.

O Grande Prêmio da Alemanha de 2000 tinha tudo para ser desastroso para Barrichello. Mal nos treinos livres, o piloto brasileiro ficou com a 18ª posição no grid de largada e teria a missão de fazer uma corrida de recuperação para, quem sabe, ao menos pontuar na prova.

Agressivo desde o início, o ferrarista contou ainda com uma boa dose de sorte. Na 12ª volta, um funcionário demitido pela Mercedez-Bens invadiu a pista para protestar. O fato fez com que o Safety Car interferisse na corrida e proporcionou que Rubinho, já na 8ª posição, tirasse a diferença para os líderes naquele momento.

Pouco tempo depois, a chuva surpreendeu a todos em Hockenheimring e foi aí que Rubinho mostrou toda sua capacidade. Enquanto todos os pilotos se preparavam para ir aos boxes para trocar o conjunto de pneus por conta da pista molhada, Barrichello mostrou coragem e arrojo, decidiu ficar na pista mesmo com o piso escorregadio e, restando 18 voltas para o fim da corrida, o brasileiro assumiu a ponta.

Perseguido pelas duas McLarens de Mika Hakkinen e David Coulthard, Rubinho mostrou muita coragem e competência para segurar a posição mesmo em desvantagem.

Dono da volta mais rápida de toda a corrida com 1m 44.300s, o brasileiro cruzou a linha de chegada 7 segundos a frente de Hakkinen e 21 segundos antes de Coulthard, que completou o pódio.

Ao receber a bandeirada pela primeira vez em sua carreira, Rubens Barrichello também encerrou o um longo jejum sem vitórias brasileiras na Fórmula 1. A última vez que um piloto tupiniquim subiu no lugar mais alto do pódio na categoria foi 7 anos antes, quando Ayrton Senna venceu o Grande prêmio da Austrália, em dezembro de 1993.

O triunfo em Hockenheimring foi o primeiro dos 11 conquistados por Barrichello na Fórmula 1. Rubinho permaneceu na categoria entre 1993 e 2011 e se tornou o recordistas de GPs disputados com 325 corridas.