Técnico do Brasil minimiza pressão para jogo contra Espanha pelo Mundial

  • Por Agência EFE
  • 16/01/2015 19h28
EFE Para o técnico espanhol da Seleção Brasileira

1Mesmo depois da derrota para o Catar por 28 a 23 na estreia no Mundial masculino de handebol nesta quinta-feira, o técnico da seleção brasileira, o espanhol Jordi Ribera, evitou pressionar a equipe para o jogo deste sábado justamente contra a Espanha, atual campeã.

“Sabíamos perfeitamente que o jogo contra o Catar era nossa primeira final e perdemos. Agora ficaremos diante dos campeões do mundo, e partir daí voltarão outras novas finais para nós”, analisou Ribera, cujo time ainda terá pela frente Eslovênia, Belarus e Chile no grupo A da competição.

Nesse sentido, o treinador reconheceu as dificuldades a serem enfrentadas por uma equipe como o Brasil, em pleno processo de formação, num jogo diante da Espanha, equipe apontada por ele como favorita ao título ao lado de França e Dinamarca.

“Sabemos o quão complicada será a partida, porque a Espanha é uma seleção muito versátil e segura. No ataque, conta com jogadores taticamente muito bons e muito inteligentes no jogo coletivo; na defesa, é uma equipe que gera muitas dúvidas aos atacantes”, avaliou.

Vivendo o segundo ciclo olímpico à frente da seleção brasileira, Ribera, que treinou a equipe nos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, sabe que um bom resultado no Catar serviria como respaldo para o projeto de olho nos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro.

“Estamos nos primeiros passos. Buscando um perfil de jogadores, melhorando esse perfil, e agora esses jogadores estão tomando a decisão de atuar fora do país. Isso os permitiu melhorar em muitos aspectos rapidamente, embora haja outros que precisam de mais tempo. Acho que para dar esse salto qualitativo de que precisamos, os Jogos do Rio chegam um pouco cedo”, considerou.

“Nós não lhes dizemos onde têm que ir, mas sim que nos peçam conselho e, nesse sentido, o que queremos é que vão para lugares onde possam trabalhar e jogar, que não percam tempo. Preferimos que joguem a se transferirem para equipes de um nível maior”, completou.