Técnico rival do Corinthians surgiu com Kaká e é “discípulo” de Ceni e Guardiola

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2017 17h42

O ex-atacante Oliveira é o técnico da CaldenseO ex-atacante Oliveira é o técnico da Caldense

Rival do Corinthians nesta quarta-feira, na primeira fase da Copa do Brasil, a Caldense tem no seu banco de reservas uma figura bastante conhecida dtorcedor paulista. Trata-se do ex-atacante Oliveira, revelado pelo São Paulo e integrante da mesma geração de Kaká, Júlio Baptista, Renatinho e Harison  que brilhou no futebol brasileiro no início dos anos 2000.

Técnico da equipe mineira desde maio de 2016, o ex-jogador de 35 anos se aposentou precocemente, ainda aos 31, devido a uma lesão no púbis, e, desde então, passou a se preparar diariamente para exercer a nova função. 

Hoje chamado de Thiago Oliveira, o treinador viajou pelo mundo, conversou com atletas entrou em contato com profissionais de renome. Um deles foi Pep Guardiola, com quem jogou em 2003 e 2004, no Al-Ahli, do Catar.  

Um estágio de duas semanas em Doha, em janeiro de 2015, reaproximou os amigos e redirecionou a carreira do brasileiro  que, a partir de então, desenvolveu outra visão sobre o trabalho de um técnico de futebol. Na época, Guardiola comandava o Bayern de Munique.

 

“Eu evolui muito em aspectos táticos e técnicos durante aquele estágio“, celebrou Oliveira, em entrevista exclusiva a André Ranieri, para a Rádio Jovem Pan. “O que mais me chamou a atenção foi que os jogadores, por mais famosos que fossem, trabalhavam duro, com uma intensidade absurda, em cada treino. E tinham um respeito muito grande pelo Pep, acrescentou. 

O período de observação foi curto, mas suficiente para que o ex-são-paulino confirmasse o que já havia imaginado há mais de uma década, quando ainda atuava com Guardiola. “Ter jogado com o Pep foi uma experiência única. Ele orientava a todos, era muito inteligente taticamente. Naquela época, já dava para ver que seria um grande treinador“, relembrou.

Mas o técnico catalão não é a única inspiração para Oliveira. Surpreendente, o ex-jogador nomeou um dos mais jovens treinadores do Brasil como referência na profissão. Em toda a minha carreira, eu aprendi muito sobre as questões táticas, de posicionamento, com apenas dois jogadores: o Rogério Ceni e o Guardiola. Então, me espelho muito no Rogério“, revelou, orgulhoso do caminho tomado pelo ex-goleiro do São Paulo. 

Ele é um dos novos treinadores que eu acho que vai dar certo. O Rogério era um dos poucos atletas que de fato entendiam do jogo, taticamente falando... E é um líder. Tem tudo para conseguir um grande destaque no São Paulo, avaliou.

Além de Guardiola e Ceni, Cuca e Eduardo Baptista também são influências para Oliveira. O ex-atacante fez estágios em Palmeiras e Ponte Preta no ano passado, e, hoje, se considera pronto para executar um bom trabalho à frente da Caldense – time que disputa a primeira divisão do Campeonato Mineiro e a Série D do Brasileiro. 

O primeiro grande desafio da temporada será nesta quarta-feira, às 21h45, diante do Corinthians, em Poços de Caldas. O time alvinegro joga pelo empate, mas uma vitória da equipe da casa representaria o maior feito da até aqui curta carreira de Oliveira – técnico que se formou na Associação Brasileira de Treinadores de Futebol e, em três anos, rodou pelo futebol mato-grossense e se destacou no Batatais, da segunda divisão paulista. 

“Um ou dois jogadores do Corinthians pagam todo o elenco da Caldense. Mas os nossos jogadores sabem da importância dessa partida para a cidade e para o clube. Estamos focados em fazer o melhor jogo possível. Vamos ver se conseguimos eliminar o Corinthians“, finalizou, em tom otimista.