Teixeira pede transparência por venda de Neymar e critica vinda de Damião

  • Por Jovem Pan
  • 29/03/2014 17h16
ReproduçãoMarcelo Teixeira foi presidente do Santos em duas ocasiões: de 1991 a 1993 e de 2000 a 2009

Em entrevista exclusiva a rádio Jovem Pan neste sábado (29), o ex-presidente do Santos Marcelo Teixeira cobrou transparência pela polêmica negociação de Neymar e criticou a atual administração do clube, presidida por Odílio Rodrigues, que segundo o ex-mandatário, negociou mal a venda do craque, além de ter comprometido o orçamento futuro com a compra de Leandro Damião.

Presidente do clube de 1991 a 1993 e depois de 2000 a 2009, lamenta a forma de como as negociações do atual jogador do Barcelona foi levada. “É um tema muito triste pela forma que foi tratada e por como ocorreu a renovação desde 2011. A maneira como foi trabalhado o atleta dentro do Santos, o clube deveria ter um ganho muito maior para poder reinvestir em sua estrutura para dar continuidade aos projetos esportivos”, afirmou.

Teixeira explicou que o camisa 10 da Seleção Brasileira deveria ter sido vendido apenas após a disputa da Copa do Mundo, já que a possibilidade do valor do menino da Vila aumentar era grande e enfatizando que as cifras apresentadas são insignificantes. “Acredito que não foi o resultado tão aguardado que nós tínhamos perante um atleta que, na minha visão, é o segundo maior atleta de referência na história do clube depois de Pelé”, falou.

Tratando como traumatizante toda a polêmica que se criou acerca da venda de Neymar, o ex-presidente espera que tudo isso seja esclarecido pelo bem do futebol brasileiro e da história do Santos e diz que o clube deve recorrer à Justiça caso seja comprovado que foram lesados no negócio.

“Sabemos que do outro lado existe a Justiça Espanhola e o Ministério Público, inclusive e o brasileiro, se houver essa exigência para apresentar os documentos e que se confiram corretamente os valores negociados pelo Barcelona, além das circunstâncias e detalhes. Eu tenho uma esperança como torcedor e homem público que o caso seja resolvido, pelo bem do futebol brasileiro”, desejou.

Teixeira aproveitou para fazer duras críticas a contratação de Leandro Damião junto ao Internacional, que custou aos cofres do time a bagatela de R$ 42 milhões. Pensando no orçamento futuro do Alvinegro Praiano, o dirigente acredita que o clube nunca conseguirá recuperar o investimento feito, o que de acordo com ele comprometerá os recursos.

“Obviamente que queremos contar com grandes jogadores em nosso elenco, mas se analisarmos friamente a negociação, com cifras e valores envolvidos, realmente preocupa muito o Santos ter que arcar e cumprir com todas as exigências futuras”, explicou. “Pela minha experiência administrativa, o Santos terá um sério prejuízo e comprometerá a administração futura no sentido dos recebimentos das receitas no futuro por conta dessa negociação do Leandro Damião”, finalizou.