Tenistas e jogadores de futebol italianos são investigados por manipulação

  • Por Agência EFE
  • 17/10/2014 17h13

A suposta trama de manipulação de partidas de tênis e futebol na Itália investigada pela Justiça pode ter o envolvimento de até dez atletas, afirma nesta sexta-feira o jornal esportivo La Gazzetta dello Sport.

A investigação está a cargo da procuradoria de Cremona, que estuda a manipulação de jogos realizados de 2007 a 2011. Entre os nomes que foram citados pelo jornal estão os dos tenistas Daniele Bracciali, Potito Starace, Filippo Volandri e Simone Bolelli.

O presidente da Federação Italiana de Tênis, Angelo Binaghi, disse que espera “a inocência” dos tenistas e que, caso contrário, “estarão acabados”.

A suposta fraude foi revelada pela Gazzetta, que publicou uma série de conversas por Skype entre os suspeitos de liderá-la: Manlio Bruni e Roberto Goretti.

Nessas conversas, Bruni e Goretti falavam das quantias que, segundo o jornal, os atletas recebiam por forçar a derrota para garantir o resultado de um determinado jogo.

Goretti, atual diretor esportivo do Perugia, negou as acusações alegando que cometeu “alguns deslizes e atos estúpidos” quando não era dirigente, mas que nunca vendeu, comproo ou manipulou resultados.

Entre as partidas de tênis com resultados suspeitos, o jornal cita a disputada em Newport por Bracciali e o americano Scoville Jenkins em 2007, e a entre Starace e o espanhol Pablo Andújar em 2011 em Casablanca. Em ambas, os italianos foram derrotados.

La Gazzetta dello Sport diz também que a investigação da procuradoria de Cremona também se centra no capitão da Lazio, Stefano Mauri, e na suposta manipulação de uma partida entre a equipe e o Lecce.

A procuradoria se baseia em outra conversa no Skype na qual um perfil supostamente do jogador falou sobre a possibilidade de modificar resultados de jogos. Mauri se defendeu alegando que o perfil (Stefano160268) é “genérico”.