Término de namoro pode frear valorização da marca Cristiano Ronaldo

  • Por Agência EFE
  • 20/01/2015 18h07
Cristiano Ronaldo e Irina Shayak

O término do namoro de Cristiano Ronaldo com a famosa modelo russa Irina Shayk pode conter a grande valorização de sua marca, que passou dos 24,2 milhões de euros em 2011 a 56 milhões de euros em 2014, antecipam especialistas em marketing.

“CR7 tem valor de marca por si só, mas influencia muito a vida pessoal do atleta para o aumento de visibilidade ou não”, analisou Daniel Sá, do Instituto Português de Administração de Marketing (Ipam), em entrevista à Agência Efe.

“O fato de ter uma namorada do mundo da moda faz com que ele tenha um impacto financeiro maior que se ela fosse uma desconhecida. Ela tem seus próprios seguidores e visibilidade midiática, e isso acaba propagando um pouco a marca CR7. O valor da marca é maior quanto maior for a visibilidade. Este é um ponto benéfico (para Cristiano)”, completou.

A evolução da marca da estrela do Real Madrid, atualmente taxada em 54 milhões de euros, mais os 5 ou 6 milhões de euros que pode ter aumentado pela conquista de sua terceira Bola de Ouro, dependerá do perfil da futura namorada do português.

“É difícil dar uma resposta concreta. Dependerá se terá uma nova namorada com alguma rapidez ou não, quem será ela, se é alguém com muita visibilidade midiática ou não”, relativizou.

Sá colocou como exemplo da interferência da vida pessoal com a imagem de marca o caso do golfista americano Tiger Woods, que teve uma turbulenta separação em 2010 depois de casos de infidelidade que vieram à tona.

“Houve episódios de conflito entre a mulher e ele. A imagem de Tiger Woods foi manchada pelos eventos. A imagem dele piorou até tal ponto que vários de seus patrocinadores se afastaram”, lembrou.

O caso de Cristiano, no entanto, é muito diferente, salientou o especialista, que antecipou que o episódio é neutro com relação a uma eventual degradação do valor de marca.

“Sendo uma separação aparentemente tranquila como está sendo, acho que não terá impacto negativo para Ronaldo ou Irina”, ponderou.