Tévez se emociona em apresentação no Boca: “dinheiro não compra felicidade”

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2015 21h08
O estádio La Bombonera ficou cheio para receber Tévez

A frase de Carlitos Tévez no título desta matéria poderia ser apenas mais uma declaração vazia de quem, na prática, trata a relação entre felicidade e dinheiro de outra maneira. No entanto, dita ao fim de sua apresentação, nesta segunda-feira (13) como grande reforço do Boca Juniors, soa verdadeira. Tévez está de volta ao clube que ama, junto de seus inúmeros fãs, e para isso deixou a Europa para trás.

Depois de fazer uma temporada primorosa pela Juventus em 2014-2015, com direito a 29 gols marcados, título italiano e da Copa da Itália, além do vice-campeonato da Liga dos Campeões, o atacante de 31 anos deixou o Velho Continente para trás. Além disso, recusou uma proposta milionária do Atlético de Madrid. Tudo para voltar pra casa.

“É um dos dias mais felizes da minha vida, estou em minha casa. Desde que tinha 13 anos eu vinha aqui, era criança e vinha ao gramado e me conheciam, me davam um abraço. E hoje fazem o mesmo e não se paga com nada”, declarou o emocionado Tévez a um La Bombonera cheio. “Voltei por isso. Isso é o Boca. É inexplicável, somente os bosteros vão entender o que significa”, completou, citando o apelido dos torcedores do Boca.

Diferentemente de outros ídolos do futebol sul-americano, o craque não volta para atuar em seu país no fim da carreira, em decadência, mas em plena forma, em um momento em que muitos apontam como o melhor de sua carreira. “Aprendi muito na Itália. Como jogador e referência, sobretudo nos dois últimos anos. Volto no meu melhor momento. Aos 26 ou 27 anos estava mais gordo que qualquer um. Estou melhor do que nunca, tanto física quanto mentalmente”, contou.

Tévez fez questão de reforçar sua identificação com a torcida xeneize. “Eu me levantava e ia dormir pensando em que dia voltaria ao Boca. O povo do Boca se identifica comigo, e eu, com o povo do Boca”, disse o craque.