Thiago Silva fala em foco constante no título: “desligar é impossível”

  • Por Jovem Pan
  • 27/06/2014 12h30
Coletiva de imprensa do Brasil antes da partida contra o Chile, válida pelas oitavas de final da Copa do Mundo 2014, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte. FOTO: Jefferson Bernardes/ VipcommCapitão do Brasil na última Copa do Mundo

Um dos líderes da Seleção Brasileira, Thiago Silva concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira (27), no estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG), e o zagueiro falou sobre o foco dos jogadores em relação à Copa do Mundo.

Neste sábado (28), às 13h (de Brasília), o Brasil abre a fase de oitavas de final enfrentando o Chile e, segundo Thiago Silva, não há como se esquecer do sonho brasileiro de conquistar o Mundial e controlar os sentimentos é complicado.

“Desligar é impossível. Não tem botão que liga e desliga. O pensamento é constante, mesmo um ano antes da Copa. Eu sabia que era um ano diferente para nós. Eu estava falando para o Felipão que é uma situação muito complicada, mas a gente tem que controlar a ansiedade, esse nervosismo. Mas é inevitável. Não tem como não se emocionar”, declarou o defensor.

Thiago Silva também frisou que os atletas da Seleção Brasileira procuram não ter contato com a opinião da imprensa, mas admitiu que todos tentam observar os jogos dos adversários.

“A gente gosta de acompanhar os jogos. Mas bate-papo a gente nem quer ouvir o que está se passando. Acompanhar os nossos possíveis adversários para ver como eles estão sim. Ver se estão falando bem ou mal a gente não quer saber. Tem jogadores que recebem elogios ou críticas de outra forma. O Luiz Gustavo, por exemplo, disse que não gosta de ser elogiado”, observou.

Por fim, ao ser questionado sobre favoritismo e o fato de o Brasil disputar a Copa em casa, o capitão exaltou a importância do calor do torcedor.

“Jogar dentro de casa te dá uma motivação muito maior. Você passa pela rua e tem milhares de pessoas dando tchau. Mostra o quanto o povo brasileiro é apaixonado pela sua Seleção”, disse. “Mas como o próprio Felipão falou, do outro lado tem uma seleção que tem os mesmos sonhos que os nossos. Se a derrota ocorrer, temos que seguir em frente. Vai ser uma grande frustração para todos. Mas o futebol é apaixonante por causa disso, você não sabe se vai ganhar ou perder”, finalizou.