Tirone defende candidatura de Leila Pereira no Palmeiras: “tem todas as condições”

  • Por Jovem Pan
  • 21/12/2016 18h05
Presidente palmeirense Arnaldo Tirone está feliz com a boa fase da equipe no Paulistão

O agora ex-presidente Paulo Nobre encerrou seu mandato no Palmeiras com uma tentativa de impugnar a candidatura de Leila Pereira, sócia da Crefisa, ao conselho do clube. Internamente, comenta-se que a irritação de Nobre com a patrocinadora do clube foi por conta de um apoio que ela teria dado ao ex-presidente Arnaldo Tirone, cuja vaga no conselho tentou ser retirada pelo então presidente em seus últimos dias de gestão.

Em entrevista exclusiva ao repórter Fredy Júnior, que irá ao ar no próximo fim de semana durante o Plantão de Esportes da Jovem Pan, o próprio Tirone nega que foi absolvido da sindicância por conta da influência da sócia.

“Esse assunto de que a Leila me ajudou, isso é uma mentira, uma falácia. Eles (Leila e José Roberto Lamacchia, donos da Crefisa) não ligaram para ninguém, isso eu posso afirmar. Em nenhum momento eles tiveram interferência na parte política do clube, eles são patrocinadores, os maiores patrocinadores do futebol sul-americano. Eu sei que eles torceram para eu não ser punido porque eles me conhecem”, afirma Tirone, que acredita que não existem motivos para impedir uma candidatura de Leila Pereira ao conselho do clube.

“Eu acho que a Leila tem todas as condições de se candidatar conselheira do Palmeiras. Eu sempre ajudei todos meus amigos quando foram candidatos ao conselho e no caso da Leila é claro que vou ajudá-la. Ela é uma pessoa bem articulada, ela tem capacidade. Eu acho que ela pode colaborar muito, é uma pessoa muito importante, proprietária da maior financeira do Brasil e eu acho que o Palmeiras precisa ter essas pessoas do lado”, declara Tirone.

A justificativa do impedimento da candidatura de Leila é de que ela não teria o tempo hábil de sócia para entrar no conselho, sequer para votar numa eleição do clube. A empresária se defende afirmando que é sócia benemérita desde 1996. Membro do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do Palmeiras na época, Tirone confessa se lembrar apenas da concessão de alguns títulos pelo então presidente Mustafá Contursi.

“Não tenho essa memória de mais de 20 anos, mas eu lembro que foram concedidos alguns títulos de sócio benemérito. Agora eu não posso atestar, porque não é algo que eu tenho conhecimento, não me lembro, mas eu sei que foram dados alguns títulos de sócios beneméritos e que o presidente Mustafá concedeu estes títulos”, afirma o ex-presidente.

Apesar de todos os recentes acontecimentos, Tirone acredita que não há o risco de a Crefisa deixar de patrocinar o Palmeiras em 2017: “eu acredito na permanência da Crefisa como patrocinadora do Palmeiras. Palmeiras ganhou muito com esse patrocínio, foram dois títulos e isso tudo tem a participação da Crefisa, da Faculdade das Américas. A gente tem que reconhecer que a participação deles foi muito importante. E eu acho que eles vão continuar”. O atual contrato da empresa encerra em janeiro e cabe ao atual presidente, Maurício Galiotte, realizar a negociação.