Título após temporada “modesta” prova que Warriors são um super time

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2017 16h05 - Atualizado em 29/06/2017 00h08

Curry e Durant foram soberanos nas finais da NBA

Curry e Durant foram soberanos nas finais da NBA

O Golden State Warriors provou mais uma vez que é uma “super-equipe” e se sagrou campeã da NBA pela segunda vez em três anos, ao bater novamente o Cleveland Cavaliers – vítima em 2015 e carrasco em 2016 – por 4 a 1 na série decisiva.

Não é exagero algum chamar o time de Golden State de “super”. Além de contar com o talento de Stephen Curry, MVP das duas últimas temporadas, Kley Thompson e Draymond Green, a franquia ainda se reforçou com o ala Kevin Durant, ex-Thunder e odiado pela torcida em Oklahoma. 

O sonho de se sagrar campeão da NBA pesou na sua decisão de deixar o OKC e sua presença no time dos Warriors foi primordial, principalmente nesta fase, quando foi eleito MVP das Finais. Durant teve pelo menos 30 pontos por jogo na série decisiva e se vingou de LeBron James, que o venceu na final de 2012, quando ainda estava no Miami Heat. Após o término da partida, o astro dos Cavs parabenizou Durant e disse: “agora estamos empatados”. 

Durante a temporada regular, Durant chegou a dividir o protagonismo com Curry, tanto que ficou dois décimos abaixo da grande estrela do time na média de pontos – 25,3 para Curry contra 25,1 para Durant. Porém, ele apresentou uma eficiência maior na média de arremessos de quadra, rebotes e lances livres, deixando para Curry o protagonismo absoluto nas cestas de três, sua principal marca. Com Curry, Durant, Thompson e Green, o Golden State Warriors perdeu apenas uma partida desde fevereiro.

Quem é rei não perde a majestade

Mesmo com a concorrência de Durant, sem estar entre os três candidatos ao prêmio de MVP na temporada regular e até mesmo sem ser o centro das atenções durante as 82 rodadas, graças ao desempenho espetacular de Russell Westbrook e seu recorde de “triple-doubles”, Stephen Curry continuou reinando na Oracle Arena em 2016-2017.

Ele liderou tranquilamente as estatísticas nas cestas de três, tendo acertado 324 arremessos de longa distância na temporada regular. Destes, 13 foram marcados em uma única partida, contra o New Orleans Pelicans, em novembro do ano passado, estabelecendo assim um novo recorde na liga.

Falando em recordes

O título da temporada 2016/2017 é o quinto da história do Golden State Warriors, deixando o time em quarto lugar, empatado com o San Antonio Spurs, na lista dos maiores campeões da história da NBA.

Uma quarta colocação até que é um posto humilde para um time que se acostumou a quebrar recordes nos últimos três anos. Mas a verdade é que essa foi até uma temporada modesta do time de Steve Kerr. O time liderou com sobras a temporada regular, ficando com 67 vitórias na Conferência Oeste.

O número não chegou perto do recorde alcançado em 2016, quando fechou a temporada com 73 vitórias, mas foi o bastante para o time se tornar a primeira franquia da história da liga a vencer mais de 60 jogos em três temporadas consecutivas.

Por outro lado, o time foi devastador durante os playoffs, perdendo apenas uma partida, o jogo 4 contra o Cleveland Cavaliers, até a conquista do título. Os Warriors varreram o Portland Trail Blazers, o Utah Jazz e o San Antonio Spurs, tornando-se assim a primeira equipe a vencer 15 jogos seguidos nos playoffs.

O time de Golden State chegou a ter nas mãos o recorde de cestas de três em única partida, com os 18 marcados no jogo 2 e a de pontos numa única partida da final (132), mas ambas as marcas foram pulverizadas por LeBron e companhia na quarta partida, quando marcaram 24 cestas de longa distância e terminaram o placar com 137 pontos.