Herói do bicampeonato olímpico da seleção brasileira quase perdeu as Olimpíadas

Malcom teve de insistir com o Zenit para ser liberado e só recebeu chamado de André Jardine após lesão de Douglas Augusto

  • Por Jovem Pan
  • 07/08/2021 17h15
Lucas Figueiredo/CBFO atacante Malcom sai para o abraço após marcar o gol que decidiu o torneio de futebol masculino dos Jogos Olímpicos

O atacante Malcom, autor do gol título da seleção brasileira na decisão do torneio de futebol masculino dos Jogos Olímpicos, por pouco não ficou fora da Tóquio-2020. Como o jogador revelado pelo Corinthians não teve a liberação do seu clube, o Zenit (RUS), para participar em São Paulo da preparação para as Olimpíadas, o técnico André Jardine preferiu não inclui-lo na lista final. Malcom só foi convocado após o corte do volante Douglas Augusto por lesão. “Quero agradecer a todos pelo esforço. Insistiram em mim. A única coisa que eu tenho é que agradecer ao apoio da nossa família, nos incentivando e apoiando. O nosso povo merece, a gente merece”, disse.

Liberado pelo Zenit após muita insistência, Malcom voou às pressas para o Japão após participar da decisão da Copa da Rússia. Ele não foi titular em nenhuma partida, mas entrou em todas. Marcou apenas um gol, justamente o mais importante da seleção brasileira nos Jogos. “A entrada do Malcom foi decisiva pelo lado esquerdo, graças a Deus deu tudo certo”, festejou o técnico André Jardine. O comandante, que quase não teve o herói do título em seu elenco, não pôde contar com Pedro e Gerson porque Flamengo e Olympique de Marselha não foram tão complacentes quanto o Zenit.

Encontro com o velho amigo

Na seleção olímpica, Malcom voltou a conviver com o amigo de infância Guilherme Arana. Os dois se conheceram nas categorias de base do Corinthians, aos 10 anos, e estreitaram os laços quando viram que tinham mais do que o uniforme de treino em comum. Eles moravam perto um do outro (ambos na zona leste de São Paulo), pegavam o mesmo ônibus para chegar ao Timão e gostavam de soltar pipa. Em 2015, já na equipe profissional do Alvinegro paulista, foram campeões do Campeonato Brasileiro. Malcom foi vendido para o Bordeaux (FRA) no ano seguinte. Arana ainda ganhou mais dois títulos (um Paulistão e mais um Nacional, ambos em 2017) antes ser contratado pelo Sevilla (ESP).