Torcedores envolvidos em brigas no futebol prestarão serviço à comunidade

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2015 13h18
O encontro que reuniu membros Tribunal de Justiça

Torcedores envolvidos em brigas no futebol terão restrição de acesso aos estádios e serão obrigadas a prestar serviços comunitários em locais públicos, como a Rede de Reabilitação Lucy Montoro, que atende a pessoas com deficiência. A medida foi divulgada pela Secretaria de segurança Pública de São Paulo, que visa acabar com casos de violências no futebol.

O secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre de Moraes, promete medidas eficientes, para acabar com a violência no esporte e a medida servirá, não só para restringir o acesso dos brigões, mas também servirá para educar a população.

“Os juízes poderão implementar essa pena de restrição com prestação de serviços a comunicado. Lá será fiscalizado horário de entrada e saída e prestará algo de útil a sociedade”, afirmou Alexandre Moraes, destacando que além da rede Lucy Montoro, os punidos poderão prestar serviço ainda ao Corpo de Bombeiros, Instituto Médico Legal e Instituto de Criminalística.

Para fiscalizar e punir torcedores violentos nos estádios e seus arredores, delegacias móveis serão instaladas nos eventos esportivos. Serão ônibus equipados até com celas.

Para agilizar a ação contra vândalos, será implementado também o Anexo Judicial de Defesa do torcedor, que será inaugurado no dia 26 de maio e agirá fazendo a repressão, investigação e punição mais rápida dos culpados.

“Estamos dando um passo importante. Um passo ousado, audacioso. Estamos confiantes de que a união de todos vai trazer uma resposta para que a justiça esteja mais próxima do lugar onde é necessária e servindo de uma forma melhor à população”, afirmou o tribunal de justiça de São Paulo, o desembargado José Renato Nalini.