Transferências renderam R$ 679 mi em 2015; o que dá pra fazer com esse valor?

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2016 15h42
SP - FUTEBOL/TREINO CORINTHIANS - ESPORTES - O jogador Renato Augusto em entrevista coletiva durante treino do Corinthians no CT Joaquim Grava, zona leste de São Paulo (SP), nesta quarta-feira (06). A equipe se reapresentou hoje e se prepara para a temporada de 2016. 06/01/2016 - Foto: RODRIGO GAZZANEL/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDORenato Augusto foi vendido pelo Corinthians por R$ 34

O momento econômico do país não é dos melhores e, é claro, o futebol também é atingido pela recessão vivida pelo Brasil. Desse modo, os clubes se veem obrigados a vender jogadores para o exterior. Em relatório divulgado nesta terça-feira (23), a CBF divulgou os números referentes a transferências do futebol brasileiro, revelando um alto valor arrecadado com a venda de jogadores para o exterior.

Com a modernização dos sistemas da Diretoria de Registro e Transferência, a entidade pode realizar um estudo inédito que apontou os seguintes números. Ao todo, 1212 jogadores brasileiros se transferiram para o futebol do exterior, gerando nada menos que R$ 679.740.600,00 para os clubes nacionais.

O montante é tão extenso que chega a ser difícil ter uma noção real do seu tamanho. Para facilitar o entendimento, o Jovem Pan Online lista, abaixou, exemplos do que poderia ser feito ou comprado com todo esse dinheiro.

Pagar o salário de 82,4% dos jogadores brasileiros por dois anos

Além de revelar que os clubes brasileiros receberam R$ 679.740.600,00 com vendas de jogadores para o exterior em 2015, a CBF também mostrou dados importantes sobre o salário dos atletas no país. 23.238 jogadores, cerca de 82,4% de todos os jogadores, recebem R$ 1 mil por mês ou menos de seus empregadores. Assumindo que cada um deles ganhasse exatamente R$ 1 mil por mês, seus salários seriam de R$ 557.712.000 por dois anos poderiam ser pagos com sobras.

Sanar as dívidas do Vasco, terceiro maior devedor do futebol brasileiro

Apesar do valor obtido pelos clubes brasileiros em transferências em 2015 ser bastante alto, nem se compara ao montante que os mesmos devem – a maioria em impostos. Para se ter ideia, os quase R$ 680 milhões não seriam suficientes para pagar as dívidas de Botafogo e Flamengo, os maiores devedores do país: R$ 845 milhões e R$ 687,9 milhões, respectivamente (em números referentes a 2014). Só o terceiro da lista conseguiria pagar suas pendências com o valor divulgado pela CBF: o Vasco deve R$ 596,5 milhões.

Pagar (com folga) o Allianz Parque

O Palmeiras “ganhou” um estádio novo em folha da construtora W Torre, mas terá de pagá-lo ao longo dos próximos anos, além de cedê-lo para shows e outros eventos. Caso tivesse acesso ao dinheiro que os clubes brasileiros obtiveram em 2015 com transferências para o exterior, o Verdão poderia pagar a sua arena, que custou R$ 550 milhões, de uma vez só e ainda sobraria cerca de R$ 129,7 milhões para gastar.

Pagar o salário dos cinco jogadores mais caros do mundo

Os dez jogadores de futebol mais bem pagos do mundo são, respectivamente, Cristiano Ronaldo, Messi, Ibrahimovic, Rooney, Van Persie, Asamoah Gyan, Lavezzi, Agüero, Yaya Touré e Neymar. Juntos, eles ganham R$ 676,8 milhões por ano. Por mais que este valor seja alto, é menos do que os times brasileiros obtiveram em 2015 com a venda de jogadores ao exterior.

Comprar Messi ou Cristiano Ronaldo

Os valores do futebol atual são tão altos que, se os quase R$ 680 milhões de reais obtidos pelos clubes brasileiros com a venda de jogadores ao exterior em 2015 parece muito, não é tanto assim comparado a apenas dois jogadores. A multa rescisória de Messi e Cristiano Ronaldo é de 120 milhões de euros cada, o equivalente R$ 525,9 milhões de reais. Ou seja: pegando toda essa fortuna divulgada no estudo da CBF, só seria possível comprar um dos dois melhores jogadores do mundo nos últimos anos.