Triste com reserva, Cássio desabafa: “não sou um menino que entrou ontem”

  • Por Jovem Pan
  • 26/05/2016 14h38

Multicampeão e ídolo do CorinthiansMulticampeão e ídolo do Corinthians

Cássio, definitivamente, não encarou com naturalidade a perda da titularidade do Corinthians. Campeão brasileiro, da Libertadores e do Mundial, o goleiro de 28 anos desabafou com a imprensa após a vitória alvinegra sobre a Ponte Preta, pelo Campeonato Brasileiro. 

Cássio, que perdeu a vaga após se ausentar da partida contra o Grêmio, há duas semanas, por causa do falecimento de sua avó, deu a entender que não foi barrado por questões técnicas. De acordo com o goleiro, a morte da mulher que o criou contribuiu para que Tite optasse por dar continuidade a Walter. 

“Não sendo irônico, mas… Espero que não faleça mais ninguém, né?“, alfinetou o goleiro, nesta quinta-feira, em Itaquera. “Eu fiquei bem chateado com essa situação, para ser bem honesto, porque, até então, eu iria jogar contra o Grêmio. Aí, acabei saindo e não voltei mais… Confesso que foi bem difícil, porque foram duas pancadas, uma atrás da outra, e eu sou ser-humano, tenho sentimentos“, desabafou. 

E Cássio não parou por aí. O goleiro elogiou o seu ex-reserva, disse respeitar a decisão de Tite, mas admitiu não ter entendido as razões que o fizeram ser colocado no banco de reservas. “Eu estava no Sul (antes da partida contra o Grêmio), mas me disponibilizei ao Corinthians. Se o clube precisasse, eu voltaria para o jogo, independente de ficar no banco ou não. Mas o pessoal falou para eu ficar lá, tranquilo. Aí, o Walter entrou, jogou e, na quinta-feira, o Tite falou que daria sequência ao trabalho dele. Eu fiquei um pouco perdido na hora“, revelou. 

Não que eu não tenha aceitado, mas fiquei um pouco chateado, até porque, com todo respeito ao Walter, não sou um menino que entrou ontem… Eu tenho uma história aqui no Corinthians. No primeiro e segundo dia, fiquei mais chateado, até um pouco irritado, mas depois é bola que segueEu não fiquei feliz, não fiquei contente, mas eu respeito o treinador“, complementou. 

Quando anunciou a titularidade de Walter, Tite a justificou apenas por questões técnicas. Na ocasião, o comandante alvinegro elogiou Cássio, o qual disse ter “nível de Seleção”, mas explicou que Walter estava em excelente momento e merecia ser recompensado pelas excelentes atuações que tivera quando utilizado. Em nenhum momento o treinador se referiu ao questionável desempenho de Cássio contra Audax e Nacional-URU, bastante criticado por parte da torcida. 

Polêmicas à parte, a verdade é que o ídolo corintiano está na reserva e, a princípio, não pensa em sair do clube. Pelo menos foi isso o que ele disse nesta quinta-feira – embora também não tenha descartado uma transferência futura. “Meu primeiro objetivo é buscar recuperar a minha posição aqui no Corinthians. Quero permanecer, mas não sei o que pode acontecer futuramente. Às vezes, aparece algo que seja bom para o clube e para mim também, mas meu primeiro passo é reconquistar o posto que eu perdi“, afirmou, meses depois de quase ter sido vendido ao futebol turco. “Já passei por tantas dificuldades… Essa vai servir como motivação para que eu trabalhe ainda mais”, decretou.