Túlio aconselha CR7 e admite: “poderia ter sido o maior artilheiro da Champions”

  • Por Diogo Patroni/Jovem Pan
  • 30/05/2017 21h25
Cristiano Ronaldo precisa de mais 402 gols para alcançar marca de Túlio

Um dos últimos centroavantes “raiz” do futebol brasileiro, Túlio Maravilha tem a receita ideal para que Cristiano Ronaldo possa atingir a marca dos 1000 gols. Feito que apenas ele (Túlio), Romário e Pelé conseguiram. Atualmente, o português tem 598 e precisaria de, no mínimo, mais dez anos para chegar ao objetivo.

Em entrevista à Jovem Pan, o artilheiro destaca ainda que poderia ter sido o maior artilheiro da história da Liga dos Campeões, e junto com o fiel escudeiro Donizete Pantera, ajudaria o Barça a aumentar sua rica galeria de troféus.

“O Cristiano Ronaldo é o melhor jogador do mundo na atualidade, mas esse ano ele está mais coletivo, jogando mais para o time. Se ele mantiver essa média de 50 gols por ano, vai chegar lá. Poucos jogadores atingiram 600 gols em alto nível. Torço para que ele, Messi e Neymar cheguem pelo menos perto. Ele vai precisar de muita paciência”, explica o ex-camisa 7 e ídolo do Botafogo.

O conselho de Túlio para CR7 é algo simples e que deu certo em quase 20 anos de carreira. “Ele tem que dosar mais a energia nos jogos e se aproximar mais da área. Ele vai ter mais chance de fazer gols e se desgastar menos. Essa é a faceta do artilheiro oportunista e a minha marca registrada”, ressalta.

Perdeu a Liga dos Campeões…

Após rodar o Brasil inteiro e colecionar passagens pelo futebol suíço, húngaro, árabe e até boliviano, Túlio enfrentou muitos gramados irregulares e alguns companheiros “pernas-de-pau”. Por isso, o Maravilha acredita que se tivesse atuado em grandes clubes da Europa poderia ter sido o maior artilheiro da Liga dos Campeões.

“Lá os gramados são perfeitos, a bola rola e os caras são bons. Com certeza, minha média seria de pelo menos dez gols por edição. Com um gol por partida eu seria um dos maiores artilheiros da ‘Champions’”, admite.

Vale lembrar que o posto de maior goleador do torneio pertence a Cristiano Ronaldo, que balançou as redes 104 vezes.

“Modesto”, o eterno camisa 7 escolhe Messi como o futuro 10 ideal. “Se tivesse jogado ao lado dele minha chance de ter feito mais de mil gols na carreira teria sido muito maior”, diz Túlio, que também não esquece de outro companheiro.

“O Donizete Pantera foi meu melhor parceiro de ataque. Esse sabia como poucos dar a assistência para o matador. Não é à toa que fomos campeões Brasileiro com o Botafogo (1995). Era uma dupla infernal. A Liga dos Campeões perdeu por não ter Donizete e Túlio Maravilha. A gente ia fazer bonito”, completa.

E o Barça…

Questionado onde a dupla “Pantera e Maravilha” se daria melhor, o artilheiro acredita que a escolha mais viável seria pelo futebol espanhol. “Nos adaptaríamos muito bem por ser um futebol mais cadenciado. Gostaria de ter atuado no Barcelona, porque o Real Madrid já tem muito título e nós ajudaríamos o Barça a encostar neles”.

Já com relação ao jogo do próximo sábado, quando Juventus e Real Madrid definem o título europeu em Cardiff, Túlio prevê um jogo duro com placar apertado. “Se brincar vai até para a prorrogação e quem sabe até os pênaltis. A Juve leva ligeira vantagem porque tem um time com mais sede. Eles chegaram três vezes na final e não conquistaram. O Buffon está em ótima fase, não à toa é o melhor goleiro da Champions, e fará de tudo para parar o Cristiano Ronaldo”

“Meu palpite é Juve campeã”, finaliza.