TV: Antes de morrer, Vilanova fez Messi mudar de ideia e ficar no Barcelona

  • Por Jovem Pan
  • 05/06/2014 09h53
Jogadores do Barcelona marcam presença em funeral de Tito Vilanova

Funcionário do Barcelona entre 2007 e 2013, sendo treinador da equipe principal em seu último ano no clube, Tito Vilanova morreu em 25 de abril deste ano vítima de câncer na glândula parótida. Entretanto, o ex-técnico pode ter sido peça fundamental para o futuro da equipe blaugraná. Conforme divulgou o jornalista Bernat Soler, da Televisão da Catalunha, foi ele quem convenceu o atacante Lionel Messi a permanecer no time espanhol.

Em notícia divulgada nesta quarta-feira, o profissional afirmou que o atleta argentino, acompanhado do goleiro José Pinto, visitou Vilanova cinco dias antes de sua morte para conversar com o ex-treinador. Abalado com a derrota diante do Real Madrid na final da Copa do Rei e pela eliminação diante do Atlético de Madrid na Liga dos Campeões da Europa, o atacante revelou ao seu ex-técnico que deixaria o Barcelona ao término desta temporada.

“E em qual time você jogará? Paris Saint-Germain?”, afirmou Vilanova, citando um dos clubes de maior poder aquisitivo da Europa na atualidade e que já se mostrou disposto a desembolsar o valor da multa rescisória de Messi: 250 milhões de euros (aproximadamente R$767,2 milhões).

Um dia depois de visitar Tito, o camisa 10 teve boa atuação contra o Athletic Bilbao, no Camp Nou, e marcou o gol que garantiu vitória por 2 a 1 da equipe catalã. Mais animado, o atacante comunicou ao presidente do clube espanhol, Josep Maria Bartomeu, que desejava permanecer no elenco. E, apenas um dia antes da morte de Vilanova, o mandatário foi ao hospital agradecer o técnico pelo incentivo dado ao argentino.

Auxiliar de Josep Guardiola em um dos períodos mais vitoriosos da história do Barcelona (2008-2012), Tito Vilanova assumiu o comando técnico da equipe em 2012, quando já estava debilitado pela doença. Apesar dos problemas físicos, conduziu o time ao título espanhol, obtendo total de 43 vitórias, nove empates e oito derrotas durante sua passagem como treinador.