A última chance de fazer história: 7 craques que se despedem da Euro

  • Por Daniel Keny/Jovem Pan
  • 10/06/2016 10h34
Veteranos Eurocopa

Muitos veteranos estarão em campo na Eurocopa 2016, que começa nesta sexta-feira (10). A Irlanda é a seleção que tem mais “tiozões”, com 11 jogadores acima dos 30 e média de idade de 29,39 anos. Às vésperas do início da Euro, a UEFA até divulgou uma seleção de atletas com 35 anos ou mais, Buffon (38 anos, Itália), Ricardo Carvalho (38, Portugal), Evra (35, França) e Rosicky (35, República Tcheca) estão entre os onze escolhidos. É fato: eles estão em alta.

Na faixa dos 30 aos 35 anos, vários craques também devem jogar a última Euro de suas carreiras. Além de comporem a elite do futebol mundial, eles têm em comum a ausência do troféu do torneio em suas recheadas galerias. Terão possivelmente a última oportunidade na edição que se inicia nesta sexta-feira (10). Você sabe quem são? Confira:

Cristiano Ronaldo (Portugal)

Aos 31 anos, o astro português acaba de conquistar com o Real Madrid sua terceira Liga dos Campeões. Com a seleção nacional, busca o seu primeiro triunfo. Em 2004, bateu na trave após perder a final por 1 a 0 para a Grécia e, agora, 12 anos depois, tem a chance de ainda no auge da carreira levar Portugal ao título inédito. Em entrevista ao site oficial da UEFA, o craque afirmou que sua seleção “vai fazer grandes coisas, seja em uma Eurocopa ou em uma Copa do Mundo”. Portugal e Ronaldo têm provavelmente a última oportunidade de, enfim, serem campeões da Eurocopa juntos.

Wayne Rooney (Inglaterra)

Renovada, a Inglaterra chega empolgada para a Eurocopa após fazer campanha de classificação impecável. Os ingleses acreditam que os atacantes Harry Kane e Jamie Vardy podem fazer do English Team uma espécie de Leicester da Euro, porque não há grande cobrança por título ou favoritismo. Mas se Vardy e Kane são as esperanças, onde fica Wayne Rooney? O ídolo de 30 anos quase ficou fora da competição por lesão e há duas temporadas não brilha tanto como antes no Machester United. Já apresentando algum declínio técnico, o maior artilheiro da história da seleção (51 gols) tem pela frente sua chance derradeira, e conta com o prestígio do treinador Roy Hodgson.

Bastian Schweinsteiger (Alemanha)

O capitão da Alemanha era dúvida por conta de uma lesão no joelho, mas conseguiu se recuperar a tempo de disputar a sua terceira Eurocopa na carreira. As seguidas lesões que vem sofrendo tornam difícil imaginar que, aos 35 anos, terá condições de participar em 2020. Mas, atualmente, Schweinsteiger continua sendo peça-chave na equipe de Joachim Löw e tem grandes chances de ser o bem-sucedido desta lista, já que a Mannschaft é a atual campeã do mundo e, com a mesma base de 2014, favorita ao título.

Zlatan Ibrahimovic (Suécia)

Segundo o jornal sueco Dagens Nyheter, Zlatan deve se aposentar da seleção ao final da Eurocopa. Aos 34, o atacante não confirma a informação: “A idade é só um número, tudo está na sua cabeça. Se quiser fazer algo, farei”, disse em entrevista coletiva durante a concentração sueca. Fato é que, apesar de ser um craque de bola, Ibra tem poucas chances de ser campeão jogando pela Suécia. Ainda que resolva jogar em 2020, dificilmente terá em 4 anos companheiros que elevem o nível técnico da seleção a ponto de colocá-la como postulante ao troféu.

Gianluigi Buffon (Itália)

São quase 20 anos de serviços prestado à Azzurra. Campeão do mundo em 2006, eleito o melhor goleiro do mundo dos últimos 25 anos pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS), sete vezes campeão italiano com a Juventus e muitos outros títulos e prêmios individuais conquistados. Este é Buffon, que, aos 38 anos, ainda é o craque e o capitão da Itália. O goleiro disputará a sua quarta Eurocopa, mesma marca de lendas como Lothar Matthäus (Alemanha), Peter Schmeichel (Dinamarca), Lilian Thuram (França), Edwin van der Sar (Holanda) e seu compatriota Alessandro Del Piero. A Azzurra não vem sendo apontada como favorita, mas, por sua tradição, não pode ser descartada. Ainda mais com Gianluigi Buffon debaixo da trave.

Petr Cech (República Tcheca)

Cech se destaca no futebol desde as categorias de base da seleção checa. Em 2002, ajudou o país a conquistar o inédito título da Euro sub-21; em 2004, foi eleito o melhor goleiro da Euro vencida pela Grécia; em 2012, ainda no auge da carreira, fez parte do grupo que chegou às quartas de final, fase em que a República Tcheca acabou derrotada por Portugal por 1 a 0. O goleirão de 34 anos vai jogar sua quarta Eurocopa em uma seleção que já não tem a mesma força de anos atrás. O veterano goleiro e os experientes Tomas Rosicky e Jaroslav Plasil são os talentos remanescentes e ainda as melhores armas da equipe, que deve encontrar muitas dificuldades já na primeira fase, contra Espanha, Croácia e Turquia.

Patrice Evra (França)

O lateral-esquerdo de 35 anos pode não ser um craque no sentido de jogar bonito, mas foi capitão da seleção francesa na Copa do Mundo de 2010 e é titular na equipe atual. Evra deu a volta por cima após o boicote que realizou durante a Copa na África do Sul, ao lado de outros jogadores, devido à insatisfação pelo corte de Nicolas Anelka pelo então treinador Raymond Domenech. A polêmica ficou no passado e o veterano vai disputar sua última Euro com a França como favorita, pois joga em casa e tem um time recheado de talentos como Pogba, Martial, Griezmann e Matuidi.