Um dos maiores nomes da história do vôlei, Giba anuncia aposentadoria

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2014 07h48

Giba não conseguiu permanecer muito tempo em clube dos Emirados Árabes e foi demitidos após 3 meses

Giba

Um dos maiores jogadores da história do vôlei brasileiro, o ponteiro Giba anunciou na última sexta-feira que encerrou a carreira. O jogador de 37 anos está sem clube desde março quando saiu do Al Nassr, dos Emirados Árabes.

Giba anunciou a sua decisão no Jornal Nacional, da TV Globo . “A sensação é de que acabou. Uma hora isso tem de chegar. Dever cumprido”, disse o jogador, que chegou a se emocionar em alguns momentos da entrevista, inclusive quando relembrou quando uma criança o abordou logo depois de sua suspensão por doping. O jogador foi suspenso em 2002 por uso de maconha.

O atleta deixa o vôlei brasileiro como um dos maiores vencedores da modalidade. Além do Ouro dos Jogos de Atenas em 2004, em que foi eleito o melhor jogador, ele ainda conquistou o Mundial três vezes (2002, 2006 e 2010), duas Copas do Mundo (2003 e 2007) e oito títulos da Liga Mundial, além de duas medalhas de prata nos Jogos de Pequim e Londres.

Giba ainda publicou uma carta de despedida na sua conta no Instagram, onde agradeceu os fãs, admitiu alguns erros em sua carreira e projetou o futuro. “Agora vou me dedicar a muitos projetos que tenho em andamento. Espero que o #gibaneles fique sempre no coração de cada um”, concluiu o jogador, relembrando o famoso bordão do narrador Galvão Bueno.

Confira na íntegra a carta de despedida de Giba

Desde 1989, quando comecei minha carreira de jogador de vôlei, até 2014, cresci muito. Foram 25 anos em que passei por diversas fases na vida. Cresci. De menino, que se curou de uma leucemia aos seis meses, a homem, pai de duas crianças, os meus maiores amores. Enfrentei dificuldades, superei obstáculos. Ganhei e perdi. Chorei, de tristeza e de alegria, e sorri mais ainda. Foram inúmeras conquistas. Prêmios individuais. Conquistas coletivas. Oito vezes a Liga Mundial. Tricampeão do mundo. Título olímpico, Copa do Mundo. Sul-Americano, Copa dos Campeões. Fui eleito seis vezes o melhor do mundo. MVP de todas as competições que disputei, ao menos uma vez. Ganhei fãs, com os quais aprendi e continuo aprendendo. Ganhei amigos, que vou levar para a vida toda. Sou grato a todos por tudo que vencemos juntos. Minha carreira não foi só de alegrias, claro. Falhei, sim. Quem não falha? Perdi. Mas me reergui. Hoje, dia 01 de agosto de 2014, tomei uma decisão, talvez a mais dolorida até aqui. Chegou a hora de parar. Com o coração apertado, me despeço das quadras, minha casa por 25 anos. Agradeço a todos que estiveram comigo nesta caminhada e contribuíram para o sucesso não só meu, mas do vôlei do nosso país. Isso é o que mais importa, no fim das contas. Espero ter ajudado vocês também, que tenha sido inspiração para alguns. Agora vou me dedicar a muitos projetos que tenho em andamento. Espero que o #gibaneles fique sempre no coração de cada um. Obrigado meu Deus !