Valdívia sinaliza permanência e define campanha palmeirense: “uma vergonha”

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2014 07h22
SÃO PAULO,SP,07.12.2014:PALMEIRAS-ATLÉTICO-PR - O jogador Valdivia do Palmeiras durante a partida entre Palmeiras SP e Atlético PR válida pela Série A do Campeonato Brasileiro 2014 no Estádio Allianz Parque em São Paulo (SP), neste domingo (07). (Foto: Leandro Martins/Futura Press/Folhapress)Confira as imagens do duelo entre Palmeiras e Atlético-PR

Depois de ajudar o Palmeiras a se salvar do terceiro rebaixamento em 12 anos, o meia Valdívia se declarou ao alviverde e sinalizou a vontade de permanecer para o ano seguinte. Em tom sincero, o chileno definiu a campanha palmeirense no Campeonato Brasileiro como uma “vergonha”. 

Questionado sobre uma possível saída, Valdívia citou sondagem do Colo-Colo, clube que o formou no Chile, mas deixou implícito a vontade de seguir no Palmeiras. “Meu contrato vai até agosto do ano que vem. Antes de viajar para o Chile eu tenho uma reunião com o presidente para falar sobre isso. Já comuniquei minha postura, minha decisão já está tomada, ele sabe. Agora vamos conversar. O mais importante de tudo é a vontade, tanto do clube quanto a do jogador. E a vontade dos dois é clara”, disse o meia em entrevista coletiva após o empate diante do Atlético-PR. 

O camisa 10 exaltou o apoio da torcida alviverde e deixou claro o seu carinho pelo clube. “Sempre vou ter uma dívida com o Palmeiras, mesmo não sendo mais jogador do clube. Sempre vou ter uma dívida aqui porque é o único clube que eu poderia jogar no Brasil. Um clube que, apesar dos erros que eu fiz, vejo o carinho que a torcida sente por mim”, afirmou. 

O alviverde encerrou o torneio com 40 pontos, somando 11 vitórias, sete empates e vinte derrotas. Por isso, o chileno deixou claro que não há nada a se comemorar. “É uma vergonha. Se a gente for definir nossa campanha é isso: uma vergonha. Com toda a história do Palmeiras, não podemos depender dos outros, não podemos vir aqui e faltar com respeito com a nossa torcida, que hoje lotou o estádio. O sentimento de todos é de vergonha”, finalizou.