Vice do Grêmio não vê ofensas racistas à Aranha: “uma grande encenação”

  • Por Jovem Pan
  • 03/09/2014 09h01
Facebook/Divulgação Jogadores do Grêmio entraram com faixa contra racismo na partida diante do Bahia

Adalberto Pries, vice-presidente do Grêmio, casou polêmica ao comentar, em sua conta pessoal do twitter nesta terça-feira (03), as injúrias raciais destinadas ao goleiro Aranha. De acordo com o dirigente, o santista “encenou” os insultos racistas para retardar o ritmo da partida, vencida pelo clube da Baixada Santista por 2 a 0.

Na súmula da partida, o árbitro Wilton Pereira Sampaio não relatou as ofensas de torcedores ao goleiro Aranha, relatando apenas reclamações de jogadores. Pries justificou a atitude do árbitro: “Sabem por que o árbitro não ouviu nem presenciou? Porque não houve. Foi tudo uma grande encenação do goleiro para fazer cera”, escreveu.

Horas depois, o dirigente tentou se explicar ainda pela rede social. “Estou em completa sintonia que a postura do Grêmio contra o racismo, teórica e prática. Não neguei a ocorrência de atos isolados, individuais que poderiam (ão) ser caracterizados como injúria racial. E como tal reprováveis. Mencionei matéria de ZH (jornal Zero Hora), na qual consta que o árbitro não viu nem ouvi atos racistas. Me senti autorizado a concluir que Aranha também não”, disse.

Nesta quarta-feira (03), o clube gaúcho será julgado pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) correndo o risco até de ser excluído da Copa do Brasil.