Vice do Internacional explica proposta de torcida mista: “queremos unir as pessoas”

  • Por Jovem Pan
  • 10/02/2015 14h59
PORTO ALEGRE DO TOCANTINS, TO, BRASIL, 20-10-2013: Futebol: Campeonato Brasileiro: Internacional X Grêmio: Jogadores do Internacional e do Grêmio se abraçam em ato do Bom Senso F.C. durante partida válida pelo Campeonato Brasileiro, em Porto Alegre do Tocantins (TO). (Foto: Carlos Eduardo de Quadros/Fotoarena)Dirigente do Internacional espera ver torcedores de Inter e Grêmio ocupando o mesmo espaço no estádio

Enquanto no futebol paulista se discute limitar os ingressos para os clássicos à torcida visitante, no Rio Grande do Sul dirigentes estão tentando andar na direção oposta. É o caso de Alexandre Limeira, vice-presidente administrativo do Internacional, que propõe criar um setor “misto” no Beira-Rio, onde sócios torcedores colocados poderiam levar amigos ou parentes gremistas para assistirem juntos ao Gre-Nal. Em entrevista à rádio Jovem Pan, Alexandre deu mais detalhes sobre a ideia.

“Percebemos que estamos administrando os jogos para os vândalos, para os bandidos, e não para as pessoas de bem, que querem estar juntas no jogo. Essas pessoas já assistem aos clássicos juntas, mas não nos estádios. Queremos ir na direção contrária do que estão fazendo”, disse o dirigente. “Nos incomoda ver um AtleTiba (Atlético-PR x Coritiba), ou um Atlético-MG x Cruzeiro, de torcida única. Queremos resgatar o sentido da palavra ‘esporte’ e da palavra ‘desporto’, que é unir as pessoas em torno da prática esportiva”.

Ao ser questionado se estaria tirando lugares de torcedores do Internacional, Alexandre explicou a lógica da proposta. “O que acontece é que grandes jogos contra Estudiantes ou Boca Juniors lotam o Beira Rio, e quando chegava um GreNal, que também é um grande jogo, não lota. Isso porque o ambiente inseguro fazia com que não conseguíssemos lotar no grande momento que é o clássico”, argumenta Alexandre. “Em São Paulo, vemos clássicos com menos de 20 mil pessoas. Não estamos tirando o lugar do sócio-torcedor, e sim ocupando um lugar vazio”.

Para Alexandre Limeira, os clubes brasileiros têm de se posicionar junto dos torcedores pacíficos e do poder público. “Os clubes precisam fazer essa movimentação em conjunto com os órgãos públicos de segurança. E eu vejo que os clubes, muitas vezes, se posicionam junto com esses brigões, com aqueles que querem o ambiente ruim no estádio, ao invés de se posicionar junto com o Ministério Público e a Polícia Militar. Os aliados dos clubes têm de ser os órgãos públicos”, finalizou o vice-presidente do Internacional. No dia 1º de março Inter e Grêmio jogarão no Beira Rio pelo Campeonato Gaúcho.