Wanderlei Silva falta a audiência que definiria pena por “fuga” de exame

  • Por Jovem Pan
  • 22/08/2014 11h50

Nova data para o julgamento será revelada nso próximos dias

Wanderlei Silva falta a audiência que definiria pena por "fuga" de exame

Wanderlei Silva e a Comissão Atlética de Nevada (NSAC) parecem não estar se entendendo. Na última quinta-feira, a lenda do MMA não compareceu à audiência marcada pelo órgão regulador, onde seria julgado pela sua “fuga” do exame antidoping surpresa para a luta contra o norte-americano Chael Sonnen, posteriormente pego e suspenso por usar substâncias ilegais.

A decisão foi tomada depois do advogado do lutador, Ross Goodman, entrar com um requerimento para descartar a ação disciplinar movida contra o “Cachorro Louco”, o que acabou forçando o adiamento do julgamento adiar. A nova data ainda não foi divulgada.

“É claro para todos que a NSAC não tem competência para exercer tal ação disciplinar contra o Wanderlei, na época um não-licenciado. Eles não possuíam autoridade”, disse Goodman em documento obtido pelo site “MMA Fighting”.

Em entrevista recente concedida ao repórter Felipe Motta à rádio Jovem Pan, Wand garantiu que iria comparecer ao chamado da Comissão para dar todas as explicações e “resolver isso de uma vez por todas”.

“Já foi explicado diante da Comissão, assumi minha parte na irregularidade e serei julgado para ver se haverá penalidade. Vou esclarecer tudo, assumir qualquer culpa e não assumir as que eu não tiver. Quero estar pronto para lutar o mais rápido possível”, disse.

Em seu depoimento a Motta, o ex-campeão do Pride explicou que sua “fuga” do exame surpresa aconteceu porque havia tomado um diurético para desinchar o seu corpo, pois tomava um anti-inflamatório muito forte para ajudar a recuperar de dores. Como faltava um mês para a luta contra Sonnen, o atleta afirmou que estaria limpo até o dia do evento.

“Como foi explicado no pré-julgamento, eu estava tomando um anti-inflamatório muito forte e como tinha um mês para a luta, tomei um diurético para desinchar. Não sabíamos que tinha essa lei para fazer o teste um mês antes. O anti-inflamatório não cai no doping, mas o diurético sim. Então não tomava nada fora isso e no dia da luta eu estaria limpo. Você tem uma data para lutar e no dia da luta eu estaria como sempre estive. Nunca caí em nenhum teste e nunca usei nenhuma substância”, finalizou.