Wanderlei Silva faz denúncias contra o UFC: só 10% da arrecadação é repassada aos atletas

  • Por André Raniere/ Jovem Pan
  • 28/01/2015 11h03
SÃO PAULO, SP, BRASIL, 18-02-2014: Luta: Wanderlei Silva, lutador de MMA (Mixed Martial Arts), durante entrevista sobre o programa "The Ultimate Fighter", reality sobre o UFC (Ultimate Fighting Championship), em São Paulo (SP). (Foto: Raquel Cunha/Folhapress)Polêmico

Em entrevista exclusiva à rádio Jovem Pan, Wanderlei Silva, um dos principais nomes do MMA de todos os tempos, revelou que está trabalhando para criar um sindicato que defenda os atletas da categoria.

“Eu já recebi um suporte do sindicato do Futebol Americano, a NFL. O presidente já me disse que vai colocar todos os advogados dele à minha disposição. Eu também estou indo agora em fevereiro para falar com o sindicato da NBA, vou conhecer o trabalho deles, vou procurar o suporte deles. E vou tentar fazer com que o nosso movimento se torne forte. E que os lutadores recebam o tratamento e o respeito que merecem”.

Ele também fez uma série de denúncias contra o UFC. Entre elas, que a organização já teria recebido US$ 70 milhões de dólares da Reebok, mas não teria repassado nada aos lutadores. “Diz a lenda que essa parceria, não sei se é verdade, já teria recebido US$70 milhões. E esse número não foi para os atletas”.

Outra denúncia que Wanderlei fez é de que o Ultimate Fighting Championship passaria no máximo 15% do que arrecada aos lutadores, valor muito inferior a maioria dos outros esportes.

“Há um estudo que esses esportes que vão para a televisão, em média, gastam até 60% do que recebem com os atletas. E no nosso esporte, se gasta uma média de 10% a 15% com as bolsas dos lutadores. Então, é realmente um valor muito baixo”.

Wanderlei Silva também diz que os lutadores não recebem nenhum tipo de suporte depois que se aposentam. “Quando acaba, o atleta não tem mais de onde tirar o dinheiro dele. O atleta volta a dar aula. Tem muitos atletas de nome que estão trabalhando até de segurança novamente”.

E a lenda dos octógonos também reclama da estrutura dada aos atletas quando eles viajam para lutar: “os caras te dão US$100, 200 pra você comer a semana inteira. Mas tem cara que está com o dinheiro contado. Tem cara que come pão com banana na semana da luta”.

Palpites

Apesar das denúncias, Wanderlei Silva palpita sobre as principais lutas que estão para acontecer no UFC, como a tão aguardada volta do Anderson Silva, que acontece no próximo sábado, 31, contra Nick Diaz.

“O Anderson tem como principal característica a dedicação. Ele não estaria voltando se não estivesse pronto e totalmente curado. Eu espero que ele volte 100% e volte a lutar pelo cinturão e que ganhe, porque esse cinturão é dele, é do Brasil”. 

Ele também falou sobre a luta entre Chris Weidman e Vitor Belfort, duelo principal do UFC 184, que está marcado para o dia 28 de fevereiro.

“É um duelo de gerações. O campeão que está vindo novo, um cara jovem, um cara na flor da idade, um cara que se mostrou outro lutador contra o Lyoto. Eu acho que no primeiro round o Vitor é o favorito. Se ele soltar aquela explosão e conseguir encaixar um golpe eu acho que a luta é dele. Agora, se for uma luta longa, eu acho que o vigor do campeão vai prevalecer”.