Yaya Touré critica City por não deixá-lo ver irmão em estado terminal

  • Por Agência EFE
  • 24/06/2014 16h13
Yaya Touré entra na briga contra caça ilegal de elefantes

O meia marfinense Yaya Touré fez duras críticas ao Manchester City por não ter dado autorização para passar alguns dias com um de seus irmãos, Oyala Ibrahim, que permaneceu em estado terminal lutando contra um câncer até ter morrido na última quinta-feira.

“Gostaria de ter estado quatro ou cinco dias com meu irmão antes de viajar para me preparar para a Copa com Costa do Marfim. Mas o City não quis me dar esses dias. Tinha que ir comemorar o título de campeão em Abu Dhabi enquanto meu irmão mais novo morria em uma cama de hospital”, lamentou o camisa 19 da seleção marfinense em matéria publicada nesta terça-feira pela revista France Football.

Yaya Touré se disse arrependido por não ter insistido sobre esse desejo junto aos dirigentes do City, que conheciam o problema. “Sabiam bem que eu estava sofrendo há por ver como piorava a saúde do meu irmão. Essa foi a razão pela qual tive várias lesões no final de temporada. A cabeça tomou o controle do corpo. Estes últimos quatro meses foram, sem dúvida, os mais duros da minha vida”, revelou.

O jogador disse ainda que, apesar das alegrias que teve na temporada pelo clube, pelo qual foi campeão inglês, a implacabilidade da doença de seu irmão o fazia sentir dor. “Quiseram que me transformasse em insensível, e o pior é que deixei que fizessem isso”, acrescentou.

Yaya Touré, que também é irmão do zagueiro Kolo Touré, recordou a proximidade com Ibrahim, dois anos mais novo, com quem passou por dificuldades na infância e começou a jogar futebol. “Era meu confidente, e meu melhor amigo também”, disse o atleta, que encerrou afirmando que agora está focado em levar Costa do Marfim às oitavas de final da Copa do Mundo. Para isso, será necessário uma vitória sobre a Grécia ainda nesta terça, em Fortaleza.